Entenda como funciona a valorização das moedas EURO, Dólar e Real

A economia mundial ainda está estruturada em torno da flutuação do dólar.

Para esclarecer, quando o dólar desvalorizou-se em relação ao real ou ao euro, as importações aumentam e as exportações diminuem.

Em primeiro lugar, diante da primeira situação descrita, a demanda por dólares americanos aumentou.

Em segundo lugar, outra hipótese, essa moeda está faltando no mercado.

O motivo é por causa da tensão entre esses dois opostos, o valor do dólar sobe ou se valoriza e, portanto, fica mais caro.

Como resultado, a oferta de produtos importados caiu e os pagamentos em moeda estrangeira se recuperaram.

Por outro lado, quando ocorre o contrário, o dólar norte-americano se valoriza e as exportações aumentam, seguido de um aumento na demanda por essa moeda e uma queda nas importações, levando a uma queda na busca pelo dólar norte-americano.

Desta vez, o antagonismo entre essas diferentes realidades econômicas fez com que a taxa de câmbio das notas dos EUA caísse.

Isso levou a um aumento na demanda do mercado por produtos importados.

Depois disso, acontece então um novo equilíbrio na taxa cambial, como resultado teremos valores melhores para as negociações com produtos estrangeiros, embora as exportações estejam encarecidas, devido a pandemia.

E durante a competição de mercado que atrai importadores, a valorização do câmbio costuma reduzir as exportações.

Por exemplo, meu país pode perder negócios importantes.

Por outro lado, uma desvalorização da taxa de câmbio pode aumentar as transações comerciais entre o Brasil e os países que compram nossos produtos em dólares americanos.

Pode-se verificar que, apesar do crescimento constante do euro como moeda única da União Europeia, o núcleo da economia ainda é o dólar americano e suas flutuações cambiais.

No entanto, a moeda americana ainda domina o pensamento econômico mundial. Sua alta valorização ainda causava frenesi no mercado.

De vez em quando, devido a esse tipo de pensamento, o dólar americano se valoriza, levando ao declínio de diversos recursos metálicos como petróleo, ouro e cobre.

Como resultado, a tendência é que a moeda norte-americana desvalorize diante do Euro, o que tem levado os empreendedores comerciais brasileiros a optar por esta moeda em suas negociações com a União Européia.

Portanto, o atual crescimento destas transações com a moeda europeia se deve a sua crescente valorização diante do real.

Por isso, empresários são atraídos também pelo equilíbrio do Euro, que não sofre constantes variações, principalmente para baixo, como vem ocorrendo com o dólar.

Em conclusão, temos que o Euro hoje está mais valorizado que as outras moedas expostas nesse artigo (real e dólar) além disso, o seu poder de compra para transações internacionais é excelente diante das moedas concorrentes.