Publicado em: 06/12/2017 às 09h27

Abordagem compartilhada: as conexões da Ortodontia no universo odontológico

Como a especialidade se conecta com as demais áreas da Odontologia, proporcionando inúmeros benefícios para os pacientes.

  • Imprimir
  • Indique a um amigo

 

Por Adilson Fuzo

 

Certa vez, em 1623, o poeta inglês John Donne adoeceu gravemente. Acreditando que estava às vésperas da morte, escreveu sua obra mais importante, Devotions Upon Emergent Occasions. Donne conseguiu recuperar sua saúde depois de alguns meses de cuidados médicos e viveu por mais oito anos, mas seu texto eternizou uma das citações mais repetidas da literatura internacional: “Nenhum homem é uma ilha, inteiramente isolado, todo homem é um pedaço de um continente, uma parte de um todo”.

A reflexão deixada por Donne poderia perfeitamente ser aplicada ao atual estágio da Ortodontia diante das demais áreas de Saúde. Afinal, a Ortodontia também não é uma ilha, assim como a própria Odontologia não pode mais ser pensada de forma isolada. Já existe um entendimento entre os profissionais de todas as áreas de que a saúde do paciente deve ser abordada a partir de uma visão integral, embora isso nem sempre aconteça na prática.

A Ortodontia foi o primeiro ramo da Odontologia a ser reconhecido como uma especialidade independente, em 1929. Ao longo do século XX, outras áreas, como a Periodontia (1941) e a Endodontia (1963), seguiram o mesmo caminho, conquistando seu espaço como especialidades formalmente reconhecidas. De forma independente, cada segmento da Odontologia traçou seu próprio caminho de aperfeiçoamento.

"O tratamento transdisciplinar, com objetivo de reabilitação em adultos, requer, além do conhecimento técnico dos envolvidos, comportamento de equipe. Isso não implica necessariamente trabalhar no mesmo espaço físico, mas torna fundamental a comunicação entre os profissionais envolvidos. Nesse contexto, o bom senso deve intermediar a definição de condutas terapêuticas específicas e possíveis para cada paciente, reconhecendo as limitações de cada área."

Maurício Cardoso
Mestre e doutor em Ortodontia pela Unesp Araçatuba; Coordenador do curso de especialização em Ortodontia da SPO, São Paulo (SP); Professor dos programas de mestrado e doutorado da SLMandic, Campinas (SP).


O isolamento inicial entre os especialistas foi desaparecendo gradualmente. Graças a esse amadurecimento, interessantes conexões foram reveladas com enorme benefício para os pacientes. No caso da Ortodontia, não foi diferente.

O controle das inflamações nos tecidos periodontais durante o tratamento ortodôntico, por exemplo, é um assunto de interesse tanto de ortodontistas como de periodontistas. Da mesma forma, especialistas das duas áreas precisam trabalhar em conjunto quando um paciente com histórico de periodontite e periodontite crônica será submetido à movimentação dentária.

"A terapia ortodôntica necessita hoje de um rigoroso programa conjunto com o periodontista, pois as pesquisas realizadas mostram que, após a instalação do aparelho ortodôntico, há um aumento do índice placa e sangramento gengival. Dessa forma, a integração entre os profissionais de Ortodontia e Periodontia promove um tratamento com melhores resultados para o paciente."

Carlos Alberto Tubel
Mestre e Doutor em Ortodontia pela Unicamp; Professor titular da disciplina de Ortodontia da Unimes, Santos (SP).


Os ortodontistas também estão se tornando parceiros indispensáveis de implantodontistas e protesistas. Com o desenvolvimento da Ortodontia para adultos e a elevação das expectativas estéticas, a abertura de espaços para a inserção de implantes e coroas vem se tornando uma prática cada vez mais comum.

A relação da Ortodontia com outras especialidades vai muito além. Ela é estudada na Endodontia, na Dentística, na CTBMF e anda lado a lado com a Odontopediatria, OFM, DTM e Fonoaudiologia. Em cada nova conexão formada, uma oportunidade de evolução para as duas especialidades foi surgindo. E a revista OrtodontiaSPO também foi testemunha desse momento de fortalecimento da Odontologia.

"A integração entre diferentes especialidades da área de saúde visa otimizar os procedimentos e a previsibilidade do tratamento. Na Odontologia não é diferente, a integração das especialidades valoriza o tratamento proposto e o profissional. Deste modo, interação interdisciplinar é a chave para melhorar os resultados estéticos."

Gilberto Cortese
Especialista em Ortodontia; Professor do curso de especialização em Ortodontia da APCD Jardim Paulista.

 

 

Celebramos os 50 anos da revista OrtodontiaSPO relembrando alguns dos momentos mais importantes da especialidade nas últimas décadas. Você pode conferir aquiaquiaqui e aqui. Valeu a comemoração, mas o futuro nos aguarda para escrever novas histórias para os próximos 50 anos. Por isso, reservamos uma série de novidades para 2018. Fique ligado em nossas matérias especiais com grandes temas da Ortodontia.

 

  • Imprimir
  • Indique a um amigo