Publicado em: 06/08/2018 às 08h48

Quem são os seus “fab four” na prática clínica?

Os “quatro fabulosos”, que já brilharam na música e na tecnologia, são importantes também no consultório.

  • Imprimir
  • Indique a um amigo
Harrison, Paul, Ringo e Lennon eram os “fab four” no campo musical. (Imagem: Shutterstock)


Traduz-se “fab four” como os “quatro fabulosos”. Na época dos nossos pais, os baby boomers, todo mundo sabia que os “fab four” eram os Beatles (Harrison, Paul, Ringo e Lennon). Harrison foi vítima do câncer, Lennon infelizmente morreu pela bala de um fã alucinado, Ringo ainda toca bateria e Paul novamente cruzou a Abbey Road na semana passada (do lado contrário, para desmistificar).

Na época tecnológica em que vivemos, os “fab four” são representados pelo Facebook, Apple, Amazon e Google. O Google criou o melhor buscador do mundo, o Facebook tornou-se um diário vivo e ilustrado, a Amazon abriu um sistema de supermercado que dispensa funcionários e, finalmente, a Apple pode se tornar a companhia com maior valorização de suas ações.

Entretanto, ao compararmos estas duas situações distintas, podemos observar:

1. Toda época tem seus “fab fours”.

2. “Fab fours” não são unanimidade, tanto na música quanto na tecnologia.

Uma terceira implicação surge, ainda, desta comparação: você já parou para pensar quem são os “fab fours” no dia a dia do seu consultório?


Na música, a mágica só funcionava porque havia alguém para unir e administrar os egos. Sim, os caras eram criativos, mas se não fosse o George Martin... a história seria diferente. No campo tecnológico, os verdadeiros equalizadores são os usuários, que aprovam ou abandonam cada app que é colocado em teste no campo da comunicação.

Agora, em nossa clínica, é a biologia do paciente que impera. E ela pode dizer muita coisa sobre como você usa o seu “fab four” e o “quinto Beatle” (Periodontia, Implantodontia, Prótese Dentária e Ortodontia). Há ouvidos para todos os gostos, mas também é verdade que em diversos momentos as bandas trocaram seus integrantes em função do estilo musical ou dificuldades de convivência.

Então, não se preocupe em trocar os seus “fab four”. Sem menosprezar a genialidade e a experiência, os “melhores álbuns” que você vai gravar no seu consultório não serão feitos da noite para o dia, acredite.

Um forte abraço!
 

Paulo Rossetti

Editor científico de Implantodontia da ImplantNewsPerio

 

  • Imprimir
  • Indique a um amigo