ImplantNewsPerio 2017 | V2N3 | Páginas: 463-9

Manipulação de tecido mole peri-implantar na região lingual posterior de mandíbula

Peri-implant soft tissue management in the posterior lingual region of the mandible – a case report

  • Imprimir
  • Indique a um amigo

Autor(es):

Alvaro Francisco Bosco1
Maria José Hitomi Nagata1
Letícia Helena Theodoro1
João Martins de Mello Neto2
Juliano Milanezi de Almeida3
Paula Lazilha Faleiros4
Natália de Campos4

1Professores adjuntos da disciplina de Periodontia – FOA/Unesp.
2Mestrando do Programa de Pós-graduação em Odontologia, área de Periodontia – FOA/Unesp.
3Professor assistente doutor da disciplina de Periodontia – FOA/Unesp.
4Doutoras em Periodontia pelo programa de pós-graduação em Odontologia – FOA/Unesp.

Resumo:

O objetivo deste artigo foi relatar um caso clínico no qual foi realizada uma modificação da técnica de estabilização do enxerto de tecido conjuntivo (ETC) concomitante à etapa de reabertura, com o intuito de melhorar a qualidade da mucosa peri-implantar na região lingual posterior de mandíbula. Após anamnese, foi constatada no exame clínico a necessidade de exodontia do dente 34 e reabilitação protética na região do 34-36. Após cinco meses, foram instalados três implantes na região dos dentes 34, 35 e 36. Decorridos quatro meses, foi realizada a reabertura desses implantes e, pela ausência de mucosa queratinizada na região dos implantes instalados, optou-se por realizar um ETC na região lingual do 35 e 36. Este foi removido do palato e, para melhor adaptação desse enxerto no leito receptor, foi utilizado um perfurador de lençol de borracha para perfurar o ETC no local que correspondia aos cicatrizadores dos implantes 35 e 36, estabilizando-se assim o ETC no leito receptor. O retalho foi reposicionado, cobrindo totalmente o ETC e suturado. Após três anos, o tecido mole adjacente ao implante apresentava-se clinicamente estável e saudável, e a paciente encontrava-se satisfeita com o resultado. De acordo com o caso clínico relatado, esta nova abordagem para utilização do ETC, para criar uma faixa de gengiva queratinizada ao redor de implantes, mostrou-se efi ciente quanto à sua utilização de região posterior de mandíbula. Entretanto, estudos clínicos adicionais são necessários para avaliar a precisão desta técnica em outras condições clínicas.

Unitermos:

Implante dental; Mucosa bucal.

Abstract:

The aim of this article is to report a clinical case where a modification of the technique of stabilization of the connective tissue graft concomitant to the reopening stage was performed in order to improve the quality of the periimplantar mucosa in the posterior lingual region of the mandible. After anamnesis, and clinical examination, the need to perform tooth 34 extraction and prosthetic rehabilitation in the region 34-36 was verifi ed. After 5 months, 3 implants were installed in the region of teeth 34, 35 and 36. After 4 months, the reopening of these implants was performed and because of the absence of keratinized mucosa in the region of the implants it was chosen to perform a connective tissue graft (CTG) in the lingual region of 35 and 36. The graft removed from the palate and for better adaptation bed, a rubber sheet punch was used to puncture it at the site corresponding to the implants 35 and 36 being stabilized in the recipient bed. The flap was repositioned, completely covering the CTG and sutured. After 3 years, the soft tissue adjacent to the implant was clinically stable, healthy and the patient was satisfied with the result. According to the reported clinical case, this new approach for the use of CTG to create a keratinized gingival band around implants proved to be efficient in its use of the posterior mandible region. However, additional clinical studies are needed to assess the accuracy of this technique in other clinical conditions.

Key words:

Dental implantation; Oral mucosa.
  • Imprimir
  • Indique a um amigo