ImplantNewsPerio 2018 | V3N3 | Páginas: 475-82

Análise volumétrica do septo no seio maxilar exibida por tomografia computadorizada feixe cônico na população peruana – estudo retrospectivo transversal

Volumetric analysis of the maxillary sinus septa by CBCT in a Peruvian population – cross-sectional retrospective study

  • Imprimir
  • Indique a um amigo

Autor(es):

Jorge Omar Espinoza Quispe1
Juan Manuel Vásquez Suica2

1Cirurgião-dentista – Universidad Nacional Federico Villarreal.
2Cirurgião-dentista, especialista em Implantodontia Oral – Universidad Peruana Cayetano Heredia; Professor de especialização em Periodontia – Faculdade de Odontologia da Universidad Nacional Mayor de San Marcos.

Resumo:

Objetivos: avaliar a presença do septo sinusal na população peruana. Materiais e métodos: um estudo transversal foi realizado em 298 seios maxilares de pacientes encaminhados ao Serviço de Radiologia Oral e Maxilofacial do Hospital Nacional Arzobispo Loayza, em Lima, Peru. A presença do septo, o número, a localização, o comprimento e a orientação dos avaliados, bem como idade, sexo e tipo de dentulismo, foram quantificados nas imagens da tomografi a computadorizada feixe cônico (TCFC), usando o software CS 3D Imaging. O teste Qui-quadrado foi realizado para tentar identifi car associações entre a presença do septo, condição dentária, idade e sexo, com 5% de significância, usando-se o SPSS20. Resultados: o septo no seio maxilar foi visto em 36,2% dos casos e estava ausente em 63,8%. Quanto à localização, 49,4% dos septos estavam no lado direito e 50,6% no lado esquerdo. Houve septos completos em 22,9% e incompletos em 77,1% dos casos. A localização do septo em maior proporção foi encontrada na parede basal, com 48,2%, seguido pelo setor anterior e
medial do seio maxilar. O comprimento médio foi de 6,86 mm. Houve associação entre a frequência do septo e o sexo dos pacientes (teste Qui-quadrado de Pearson, p=0,015, graus de liberdade 1, ᵪ2= 5,894). Conclusão: cada população apresentará variações na localização e tamanho do septo do seio maxilar que devem ser cuidadosamente estudadas por TCFC para evitar rompimento da membrana e outras intercorrências que levam ao insucesso das terapias regenerativas e restauradoras.

Unitermos:

Seio maxilar; Septo do seio; Tomografia computadorizada feixe cônico.

Abstract:

Objectives: to evaluate the presence of the sinus septa in a Peruvian population. Materials and methods: a cross-sectional study was performed on 298 maxillary sinuses of patients referred to the Oral and Maxillofacial Radiology Service of the Arzobispo Loayza National Hospital, Lima, Peru. The presence of the septum, the number, location, length and orientation of the evaluated, as well as age, gender, type of dentulism were quantified in conical beam computed tomography (CTT) images using CS 3D Imaging software. The Chi-square test was performed to try to identify associations between the presence of the septum, dental condition, age and sex, with 5% of signifi cance, using SPSS20. Results: the septum in the maxillary sinus was seen in 36.2% of the cases and absent in 63.8%. Regarding the location, 49.4% of the septa on the right side and 50.6% on the left side. There were complete septa in 22.9% and incomplete septa in 77.1% of the cases. The location of the septum in greater proportion was found in the basal wall with 48.2%, followed by the anterior and medial sector of the maxillary sinus. The average length was 6.86 mm. There was an association between septum frequency and patients' gender (Pearson's Chi-Square test, p=0.015, degrees of freedom 1, ᵪ2 = 5.894). Conclusions: each population will present variations in the location and size of the septum of the maxillary sinus that must be carefully studied by CBCT to avoid membrane rupture and other intercurrences that lead to the failure of regenerative and restorative therapies.

Key words:

Maxillary sinus; Sinus septum; Computed tomography cone beam.
  • Imprimir
  • Indique a um amigo