ImplantNewsPerio 2018 | V3N5 | Páginas: 918-24

Enxerto subeptelial de tecido conjuntivo com tracionamento coronal de retalho

Subepithelial connective tissue graft with coronal flap traction – a case report

  • Imprimir
  • Indique a um amigo

Autor(es):

Ana Carolina da Silva1
Clarissa Carvalho Martins Maciel1
Fabio da Silva Matuda2
Renata Amadei Nicolau3

1Graduandas em Odontologia – Universidade do Vale do Paraíba.
2Doutor em Odontologia Restauradora Dentística – Unesp; Professor coordenador dos cursos de especialização em Periodontia e de Cirurgia Periodontal – CEO/Uningá; Especialista em Periodontia – APCD Santo André; Especialista em Prótese Dentária – Unesp SJC; Professor coordenador do curso de atualização em Periodontia – APCD SJC.
3Doutora e mestra em Engenharia Biomédica, e professora coordenadora do curso de Odontologia – Univap; Doutora em Ciências Médicas Básicas – Universidade Rovira i Virgili, Espanha; Especialista em Periodontia – APCD SJC; Integrante do Colégio Brasileiro de Cirurgia e Traumatologia Bucomaxilofacial (CBCTBMF).

Resumo:

O enxerto de tecido conjuntivo consiste em realizar um retalho parcial na área receptora e prepará-la para receber um tecido conjuntivo que será removido da área doadora, o palato. O transplante de tecido conjuntivo tem as melhores chances de êxito, pois o tecido enxertado é vascularizado nas duas faces: na face interna, pelo sítio conjuntivo-periósteo que foi mantido; e na face externa, pelo retalho. Este trabalho teve como objetivo o relato de um caso clínico demonstrando a efetividade do emprego do enxerto subepitelial de tecido conjuntivo com tracionamento coronal do retalho. Paciente com 39 anos de idade, do sexo feminino, apresentava retração gengival de 4 mm na face vestibular do elemento dentário 11 (tratado endodonticamente e restaurado proteticamente com núcleo metálico fundido e coroa provisória de resina acrílica). A queixa principal da paciente era a grande discrepância gengival entre os dentes incisivos centrais superiores. Foi proposto o recobrimento radicular com enxerto de tecido conjuntivo (técnica de Harris), posicionamento apical do retalho e confecção de uma nova coroa provisória no dente 11, acompanhando o limite cervical do elemento dentário 21, visando à harmonia estética do sorriso. Após a remoção das suturas, o pós-operatório apresentou recobrimento da região do dente 11 e melhora da estética com a troca das próteses. A paciente foi acompanhada clinicamente durante dois anos, obtendo-se sucesso clínico na reabilitação estética a partir das técnicas empregadas.

Unitermos:

Gengiva; Retração; Enxerto subeptelial.

Abstract:

The connective tissue graft consists of making a partial flap in the recipient area and preparing it to receive a tissue that will be removed from the palatal donor area. The connective tissue transplantation has the best chances of success, because the grafted tissue is vascularized on both sides: the internal aspect at the connective periosteal site that was maintained and the external aspect by the flap. This is a clinical case demonstrating the effectiveness on the use of subepithelial connective tissue graft with coronal flap traction. A 39-years-old female patient presented with a 4 mm gingival retraction on the buccal surface of the element 11 (treated endodontically and restored with a cast post and core and a temporary acrylic resin crown). The patient's main complaint was the large gingival discrepancy between the upper central incisors. Root coverage with connective tissue grafting (Harris technique) with apical flap placement was performed, as well as the creation of a new provisional crown on tooth 11, leveled at the cervical limit of element 21, aiming an aesthetic smile harmony. After suture removal, root coverage and aesthetic improvements with prosthesis replacement were seen. The patient was followed clinically for 2 years demonstrating clinical rehabilitation success using the proposed techniques.

Key words:

Gingiva; Retraction; Subepithelial connective tissue graft.
  • Imprimir
  • Indique a um amigo