ImplantNewsPerio 2009 | V3N3 | Páginas: 199

Mobilidade dentária: incidência, influência na terapia e relação com outras condições clínicas. Estudo retrospectivo

Tooth mobility and its incidence, influence on therapy, and relation to other periodontal clinical parameters. A retrospective study

  • Imprimir
  • Indique a um amigo

Autor(es):

Renato de Vasconcelos Alves*, Romeika Vasconcelos Neves**, Manuela Wanderley Ferreira Lopes***, Estela Santos Gusmão****
* Professor Adjunto da Disciplina de Periodontia da Faculdade de Odontologia de Pernambuco da Universidade de Pernambuco - FOP-UPE; Coordenador do curso de Especialização em Periodontia da ABO-Pernambuco. ** Especialista em Periodontia pela ABO-Pernambuco. *** Mestre em Odontologia pela Universidade Federal de Pernambuco. **** Professora Adjunta da Disciplina de Periodontia da Faculdade de Odontologia de Pernambuco da Universidade de Pernambuco - FOP-UPE.

Resumo:

O objetivo desta pesquisa foi avaliar a incidência dos diferentes graus de mobilidade dentária e sua relação com características clínicas e a terapia periodontal. Para isto, foram analisadas fichas de pacientes atendidos no curso de Especialização em Periodontia da SCDP-ABO/PE, os quais foram selecionados porque apresentavam dentes com qualquer grau de mobilidade ao exame inicial. Foram coletados os seguintes dados: grau de mobilidade do(s) dente(s) no primeiro exame, presença de lesão de bifurcação (com sua classificação), presença de dente vizinho, presença de defeitos angulares ao exame radiográfico e tratamento realizado. Os resultados deste estudo mostraram que as taxas de incidência de mobilidade entre os dentes anteriores e posteriores foram similares e que o incisivo central inferior esquerdo foi o dente com maior frequência de apresentar mobilidade. Os resultados mostraram ainda que, independente do grau de mobilidade, a terapia com raspagem e alisamento radicular foi a mais utilizada. Nos molares, a maior porcentagem de dentes com mobilidade apresentavam defeitos de bifurcação. Dentro dos limites deste estudo, pode-se concluir que: a descontaminação radicular (não-cirúrgica ou cirúrgica) foi a terapia mais utilizada em todos os casos de dentes com mobilidade, independentemente do grau, a ausência de dentes adjacentes está diretamente relacionada com a incidência de mobilidade dentária e que molares com envolvimento de furca têm mais mobilidade do que outros dentes com igual nível de destruição periodontal, mas sem defeitos de bifurcação.

Palavras-chave:

Periodontite; Mobilidade dentária; Terapia periodontal; Estudo retrospectivo.

Abstract:

The aim of this study was to evaluate the incidence of tooth mobility and its relationship with periodontal diagnosis, clinical features and therapy. Clinical recording of patients enrolled in Periodontics Clinic from SCDP-ABO-PE were selected since they have showed teeth with any tooth mobility degree at the first clinical examination. The following parameters were recorded: tooth mobility degree in the first examination, furcation involvement (and its classification), presence of adjacent teeth; evidence of radiographic angular bone defect, smoking and performed therapy. The results showed that the incidence of tooth mobility on anterior and posterior teeth were similar, and that lower left central incisor was the more affected tooth by tooth mobility. Scaling and root planning was the most frequently used procedure, regardless the degree of mobility. In molars, the larger percent of teeth with mobility presented furcation defects. Within the limits of this study, it is possible to conclude that: root debridement (surgical or non-surgical therapy) was the most frequent used therapy, regardless the tooth mobility degree. The absence of adjacent teeth was strictly related to higher incidence of tooth mobility. Molars with furcation involvement showed more tooth mobility.

Key words:

Periodontitis; Tooth mobility; Periodontal therapy; Retrospective study.
  • Imprimir
  • Indique a um amigo