Publicado em: 04/04/2017 às 13h07

IN 2017 e a revolução tecnológica: o que vem por aí?

Um time de grandes nomes internacionais da Odontologia avalia como a tecnologia impactou e está transformando a Reabilitação Oral.

  • Imprimir
  • Indique a um amigo
José Luis Calvo-Guirado, Maurice Salama, Alessandro Pozzi, Zvi Artzi, José Valdívia e Matteo Chiapasco. (Ilustrações: Lézio Júnior) 


Por Flavius Deliberalli
Ilustrações: Lézio Júnior


Fazendo um exercício rápido: tente se lembrar de alguns procedimentos complexos com os quais você se deparou recentemente no consultório e como foi o planejamento e desenvolvimento desse tratamento. Agora, imagine estes mesmos casos chegando ao seu consultório há dez, 15 ou 20 anos. Como você os resolveria e em quanto tempo? É inegável que a tecnologia promoveu mudanças profundas na Odontologia e trouxe benefícios imensuráveis aos profissionais e aos pacientes. Diante de tantas mudanças e tantos avanços, conversamos com importantes profissionais estrangeiros que estarão no Brasil em agosto, exclusivamente para ministrar cursos durante o IN 2017. Eles fizeram uma reflexão sobre as melhorias proporcionadas pela tecnologia nos tratamentos reabilitadores. Confira.


Novos caminhos

A tecnologia 3D foi destacada como ponto-chave para uma nova revolução na Odontologia – que, aliás, está bem diante dos nossos olhos. O espanhol José Luis Calvo-Guirado, professor titular e catedrático em Cirurgia Oral e Odontologia Geral da Universidade Estadual de Nova York (EUA), considera impactante a impressão 3D de dentes, além do aprimoramento dos biomateriais que atuam na reconstrução e regeneração de novos tecidos.

Quem compartilha da mesma opinião é Maurice Salama, que possui dupla especialidade em Ortodontia e Periodontia, e é professor assistente da Faculdade de Medicina da Georgia (EUA): “As tecnologias 3D e a impressão 3D permitiram maior precisão e criatividade para a equipe odontológica. Desde a criação dos nossos próprios guias cirúrgicos para provisórios, agora podemos controlar todo o processo e minimizar os custos”, avalia.

O italiano Alessandro Pozzi, professor visitante na Universidade de Los Angeles (EUA), segue a mesma linha e também considera as tecnologias no campo 3D como as que mais somaram à Reabilitação Oral nos últimos anos. “A fusão tridimensional de imagens permite criar um paciente virtual. A visualização em 3D das características do local receptor do implante e da anatomia da região proporciona um entendimento mais abrangente dos requisitos cirúrgicos, protéticos e estéticos, e pode melhorar a tomada de decisões, aumentando a confiabilidade do tratamento geral com implante”, afirma. Para ele, a era digital está contribuindo também para a ampliação de procedimentos minimamente invasivos e com a opção de entregar uma prótese temporária pré-fabricada para restaurar a função e a estética imediatamente.

O israelense Zvi Artzi, professor da Universidade de Tel Aviv, e o chileno José Valdívia, que atua como professor titular de Implantodontia e Reabilitação Oral na Universidade Autônoma do Chile, apontam o sistema CAD/CAM como a inovação tecnológica mais importante introduzida no contexto da Reabilitação Oral nos últimos anos. “A tecnologia CAD/CAM mudou radicalmente a maneira de fazer restaurações indiretas, ou seja, inlays, coroas, pontes, pilares sobre implantes e todos os tipos de próteses sobre implantes. Ela melhorou substancialmente a precisão das restaurações”, explica Valdívia.

Já o italiano Matteo Chiapasco, professor e chefe da unidade de Cirurgia Oral da Universidade de Milão, vai um pouco mais longe ao lembrar que os implantes osseointegrados representaram um verdadeiro avanço na Reabilitação Oral de pacientes parcialmente e totalmente edêntulos. Porém, dentre as descobertas mais atuais, ele considera revolucionários os materiais utilizados para substituir ossos. “Os substitutos ósseos e as novas técnicas cirúrgicas permitiram aos cirurgiões reconstruir as mandíbulas e maxilas severamente deficientes. Dessa forma, a colocação do implante tornou-se possível também sob condições iniciais impraticáveis”, pontua.
 

Faça parte deste time

Todas essas abordagens e conceitos poderão ser conferidos in loco, durante o IN 2017 – Latin American Osseointegration Congress, que trará à tona discussões e debates sobre tecnologias que estão revolucionando a Odontologia e suas especialidades.

O encontro acontecerá de 23 a 26 de agosto, no Anhembi, em São Paulo (SP), e terá como principais destaques seis mesas-redondas temáticas e 24 cursos de imersão, além de 90 conferências e 15 atividades no formato Corporate Session, com foco em tecnologias aplicadas e resultados clínicos.

Para adesões e mais informações, acesse www.in2017.com.br ou entre em contato pelo telefone (11) 2168-3400.

 

  • Imprimir
  • Indique a um amigo