Publicado em: 06/10/2017 às 09h55

Palavra-chave: implantes imediatos

Elcio Marcantonio Jr. e Fausto Frizzera debatem um dos temas mais polêmicos em Implantodontia.

  • Imprimir
  • Indique a um amigo
Atualmente, um dos temas mais polêmicos em Implantodontia é a realização ou não de implantes imediatos. Enquanto alguns autores preconizam a instalação dos implantes logo após a exodontia, ou mesmo a confecção de um provisório como forma de manter os tecidos ósseo e gengival, outros entendem que apenas com o preenchimento dos alvéolos pós-extração e instalação do implante em um segundo momento (após a cicatrização) será possível a manutenção dos tecidos peri-implantares.
 
Trabalhos mais recentes têm colocado mais dúvidas em relação à melhor técnica: implantes imediatos ou mediatos (tardios). Em um artigo de 2014, Vignolett i & Sanz descrevem os fatores que poderiam influenciar a remodelação óssea ao redor dos implantes, e fazem uma interessante correlação entre a cicatrização ao redor dos implantes e a cicatrização de alvéolos.
 
Em um artigo de 2017, de Esposito e cols., foram comparados três momentos de instalação de implantes: imediato (logo após a exodontia), precoce (seis semanas após a exodontia) e tardio (quatro meses após a exodontia, com o alvéolo cicatrizado). Cada grupo teve 70 pacientes (210 no total), e a avaliação foi realizada com um ano de acompanhamento. Em casos de necessidade, houve preenchimento dos espaços entre a tábua óssea vestibular e o implante. Embora as falhas tenham sido mais frequentes em implantes imediatos e precoces, não foram observadas diferenças estatisticamente significantes para falhas, complicações e satisfação do paciente nas três condições estudadas. As mudanças no nível ósseo foram semelhantes entre os diferentes procedimentos, mas os resultados estéticos foram melhores com implantes imediatos e precoces.
 
Todos os trabalhos chamam atenção para o fato de que os implantes imediatos são mais difíceis de serem realizados e exigem um planejamento detalhado para que fiquem na posição protética ideal. Assim, disponibilidade óssea, altura gengival, biotipo gengival, presença de tábuas ósseas, dentre outros fatores, devem ser avaliados para indicar a técnica ideal. Para nós, as vantagens estéticas, a redução de prazo de tratamento e a menor exposição dos pacientes a procedimentos cirúrgicos falam a favor dos implantes imediatos, desde que bem indicados.
 
 
REFERÊNCIAS
 
1. Vignolett i F, Sanz M. Immediate implants at fresh extraction sockets: from myth to reality. Periodontol 2000 2014;66(1):132-52.
 
2. Chrcanovic BR, Albrektsson T, Wennerberg A. Dental implants inserted in fresh extraction sockets versus healed sites: a systematic review and meta-analysis. J Dent 2015;43(1):16-41.
 
3. Sanz-Sánchez I, Sanz-Martín I, Figuero E, Sanz M. Clinical efficacy of immediate implant loading protocols compared to conventional loading depending on the type of the restoration: a systematic review. Clin Oral Implants Res 2015;26(8):964-82.
 
 

Elcio Marcantonio Junior

Professor titular das disciplinas de Periodontia e Implantodontia, e coordenador do curso de especialização em Implantodontia – FOAr/Unesp; Professor colaborador do Ilapeo.

 

 

 

 

 

Colaboração:

Fausto Frizzera

Especialista e mestre em Periodontia, e doutor em Implantodontia – FOAr/Unesp; Professor titular de Periodontia e Implantodontia da Faesa; Professor do aperfeiçoamento e da especialização em Implantodontia – ABO/ES.

 

 

 

 

 

 
  • Imprimir
  • Indique a um amigo