Publicado em: 23/01/2018 às 09h37

Novo presidente da SIN: eu vim para ficar

Em entrevista exclusiva, o argentino Felipe Leonard fala sobre seus desafios e destaca a importância de um projeto de longo prazo para o futuro da empresa.

  • Imprimir
  • Indique a um amigo
 O objetivo de Leonard é conquistar a liderança do mercado nacional e crescer a plataforma internacional. (Imagem: Jaime Oide)


Por Adilson Fuzo
 

Desde que foi adquirida pelo grupo financeiro Southern Cross, em 2009, a SIN – Sistema de Implantes tem atravessado diferentes etapas e gestões em seu processo de crescimento, o que permitiu à empresa se manter em segundo lugar no mercado brasileiro e se projetar em vários mercados no mundo. Hoje, o plano do fundo de investimento é pisar no acelerador e conquistar novos patamares de liderança. Em setembro de 2017, o argentino Felipe Leonard aceitou o desafio de ser o novo presidente e CEO da companhia para liderar essa nova etapa. E não pretende deixar o cargo tão cedo.

Diante da pressão natural que o cargo representa, Leonard não esconde suas ambições: o objetivo é conquistar a liderança do mercado nacional e crescer fortemente a plataforma internacional. Hoje, com a líder abocanhando praticamente metade desse segmento, essa meta parece realmente desafiadora, mas o argentino não tem vergonha de mirar bem alto e pensar em longo prazo.

Em sua primeira entrevista concedida aos implantodontistas brasileiros, Felipe Leonard recebeu a equipe da revista ImplantNewsPerio para falar sobre o atual momento da companhia e os desafios de sua gestão.

Veja como foi a conversa:

ImplantNewsPerio – Como foi a sua entrada na área de Implantodontia?
Felipe Leonard –
Sou formado em Engenharia Industrial e, por ser uma carreira generalista, é possível atuar em diversas áreas das empresas. Por isso, trabalhei na Philip Morris International, Kraft Foods, Grupo Perez Companc e liderando a GA.MA Italy do Brasil. Tenho passagem pelos mercados da Argentina, Chile, Bolívia e Equador, antes de desembarcar no Brasil. Em relação à SIN, recebi o convite para entrar na empresa em setembro, e atualmente estamos fazendo um diagnóstico do mercado, com a intenção de ampliar sua visibilidade e torná-la líder de mercado nos próximos anos. Isso será possível porque a SIN possui valores únicos, o que permite o planejamento de projetos importantes para os próximos anos e ainda obter um investimento global sólido. O que diferencia a SIN das outras companhias são, em primeiro lugar, os investimentos constantes nas áreas de tecnologia ciência e inovação. Em relação às vantagens competitivas para crescer no mercado brasileiro, a SIN tem diferenciais únicos. Apesar de ser uma multinacional, o fato de ter a sua matriz no Brasil, permite combinar a agilidade e a flexibilidade de uma empresa local, com os recursos e o profissionalismo de uma multinacional. A empresa oferece produtos únicos no mundo e estamos repletos de projetos de inovação na área científica e em produtos atuais. Embora já estejamos presentes em mais de 15 países, o objetivo é fortalecer e expandir a SIN internacionalmente. O Brasil está saindo da pior crise da história, e o mercado não para de crescer.
 

INPerio – O que o mercado deve esperar dessa mudança no comando da empresa?
FL –
O objetivo é tornar a SIN líder no segmento de implantes. Estamos conscientes de que isso representa um enorme desafio, mas temos sempre que acreditar e lutar para ficarmos em primeiro lugar. A meta é ambiciosa e estamos batalhando para isso. Sendo assim, investimos em equipe capacitada, parcerias com universidades, embasamento científico e capacidade industrial. O Brasil possui muitas oportunidades e estamos pensando de forma estratégica, com novas linhas de produtos e lançamentos para 2018. Desejamos que o cirurgião-dentista reconheça nosso trabalho e nos escolha pela qualidade e pelos serviços oferecidos. Eles valorizam o suporte, a confiança, a parceria, a flexibilidade e o preço competitivo. Queremos ter contato direto com o cliente, oferecendo ferramentas para avançar na dinâmica comercial. A mudança é um processo e é preciso ter calma para a adaptação.

Além disso, o colaborador deve estar motivado para atrair clientes, então, um grande desafio é atingir um nível excelente de governança sem perder a agilidade. Também queremos colocar a SIN na indústria 4.0 e ficar cada dia mais tecnológicos para oferecer o melhor serviço. Em 2018, teremos muitas melhorias tecnológicas.
 

INPerio – Como foi o ano de 2017 para a SIN?
FL –
O ano de 2017 foi difícil. A empresa tinha planejado algumas estratégias, que não aconteceram ou evoluíram de maneira diferente da esperada, e teve que mudar os planos e a alocação de recursos no meio do caminho. Entre as mudanças, destacam-se o crescimento e a expansão das clínicas e de franquias, o que alterou bastante o relacionamento e a dinâmica financeira do negócio.

No segundo semestre, a situação entrou nos trilhos, o que nos permitiu focar totalmente nos planos de expansão para 2018. Em termos de consumo de implantes e de crescimento, o ano foi bom. Em linha com o processo de crescimento da empresa, 2017 foi o ano com maior quantidade de implantes da SIN colocados em boca nos diferentes mercados de atuação. Estamos com boas perspectivas para 2018, tanto em vendas quanto em resultado financeiro. Em relação ao fenômeno das redes de franquias, essa mudança vai ser positiva para o mercado. Embora seja algo novo, temos que apoiar para ajudar o mercado a expandir. O grande valor das clínicas será na divulgação massiva da solução de implantes para o consumidor final, que até agora desconhecia ou não a considerava.
 

Parque fabril da SIN, que recebe constante investimento tecnológico. (Imagem: Jaime Oide)

 

INPerio – Como a crise política e econômica afetou o mercado odontológico?
FL –
Estamos bastante envolvidos com questões políticas e já fizemos reuniões com a prefeitura, por exemplo, para entender e poder contribuir. Infelizmente, não há muitos programas de incentivo ao implante. Porém, a necessidade da população é gigantesca. Com a crise, a saúde pública foi afetada, pois as pessoas perderam os seus empregos e a beleza e saúde foram deixadas para depois. A iniciativa privada tem uma responsabilidade pública e condições de envolvimento social. O Brasil precisa de uma política diferente e queremos uma gestão bem-sucedida. Além disso, o mercado tem possibilidades enormes, com clínicas de atendimento personalizado, corporativo e social. Há gestores no governo preocupados com as pessoas e em levar qualidade de vida para os menos favorecidos.


INPerio – Quais são os planos para 2018? E quais produtos serão lançados?
FL – Estamos com um potencial de crescimento muito grande e queremos fortalecer os produtos e investir em pesquisas para termos uma linha diferenciada, por isso teremos vários lançamentos em todos os segmentos. Há profissionais que possuem preferência por alguns modelos e não mudam, mesmo que se comprove a qualidade, ou ainda que estão familiarizados com uma técnica ou têm receio de mudança. Por isso, queremos investir em serviços de qualidade. Realizaremos muitas iniciativas para facilitar a experiência com produtos melhores.

Buscamos melhorar a tecnologia, tanto para vendedores quanto de plataformas digitais. Também estamos pensando em soluções para os consultórios, desde o planejamento de cada cirurgia até o agendamento. A fidelização aumenta quando nos aproximamos do cliente. Por isso, vamos pensar nas preocupações do dia a dia do profissional, que vão além do implante. Temos muito que compartilhar. Temos uma fábrica com tecnologia de ponta. Vamos investir em formação e aperfeiçoamento com cursos e palestras. Também estamos planejando eventos corporativos para aproximação dos clientes. Dessa forma, daremos visibilidade aos produtos e aumentaremos os vínculos de relacionamento.
 

INPerio – Por que a SIN ainda não incorporou outros produtos ao seu portfólio, como biomateriais, por exemplo?
FL –
Não posso antecipar informações concretas, mas posso dizer que teremos muitas novidades para 2018 e a pesquisa científica será ampliada – com ótimos profissionais e parceiros pesquisando diversos produtos interessantes. Aumentaremos nosso grupo de speakers, consultores científicos e pesquisadores, e temos uma série de iniciativas para aperfeiçoar esse modelo, por isso estamos revisando e especializando os cursos que participamos. Também queremos melhorar nosso marketing para sermos cada vez mais reconhecidos no mercado.
 

INPerio – Não é segredo que a SIN pode ser negociada a qualquer momento com grupos internacionais. Como você lida com essa pressão?
FL –
A minha filosofia é entrar em uma empresa e ficar a vida toda. O fundo de investimento internacional Southern Cross quer agregar valor ao negócio, não está buscando apenas resultado. A empresa tem um grande potencial em longo prazo, com o crescimento mundial na Implantodontia. É um trabalho muito sério e temos projetos muito valiosos. A empresa SIN não está à venda, e hoje o foco é valorizar e conquistar o mercado, além de inovar. Estamos saindo da crise e melhorando a gestão interna. Eu vim para a SIN para ficar.

 

  • Imprimir
  • Indique a um amigo