Publicado em: 23/01/2018 às 09h46

Neodent: líder de apetite duplicado

Empresa traça planos para ampliar seus negócios dentro e fora do Brasil e já projeta ser a maior fabricante de implantes do mundo.

  • Imprimir
  • Indique a um amigo
Mesmo com a capacidade produtiva recentemente duplicada, a Neodent já pensa em nova expansão da fábrica. (Fotos: divulgação)

 

Por Adilson Fuzo

 

Depois de três anos praticamente estagnado, o mercado brasileiro de implantes deve voltar a crescer gradualmente em 2018. A projeção é da Neodent, líder nacional de vendas entre os brasileiros e com mais de 50% de marketshare, que pretende aproveitar ao máximo a retomada da economia.

Depois de comemorar uma sequência de resultados positivos, mesmo no cenário adverso da economia brasileira dos últimos três anos, o CEO da companhia, Matthias Schupp, não vê motivos para pensar pequeno. “A recuperação da economia deve ser lenta, mas estamos muito animados. Se conseguimos crescer durante a crise, acredito que temos capacidade para chegar ainda mais longe a partir de agora”.

Desde que foi adquirida pela Straumann, em 2012, a Neodent vem se preparando para trabalhar com grandes volumes no mercado nacional e internacional. Em 2017, a companhia deu passos importantes nesse sentido, com a ampliação de sua linha de produção, em Curitiba, o lançamento da linha Grand Morse (GM) e a inauguração de seu novo centro de distribuição.

Geninho Thomé
comanda a divulgação da
segunda fase do
implante Grand Morse.
Grupo terá agenda pesada de lançamentos
em 2018, com biomateriais da Botiss,
alinhadores da ClearCorrect e implantes cerâmicos
da Neodent, revela Matthias Schupp.

 

A partir de 2018, a empresa passa a disputar também o mercado de biomateriais, com a comercialização da linha de produtos da Botiss. “A Straumann Group já possui uma integração muito forte com a Botiss por conta de uma joint venture, então nos sentimos muito à vontade com esse produto. Acreditamos que implantes e biomateriais formam um conjunto, e nossa visão é oferecer uma solução integrada aos nossos clientes”, explica Schupp. “Por conta dos órgãos regulatórios brasileiros, esse lançamento demorou um pouco, eu reconheço, mas o importante é que finalmente temos a linha completa”.

A linha de biomateriais da Botiss será oficialmente lançada ao público durante o Ciosp 2018 – Congresso Internacional de Odontologia de São Paulo, quando a Neodent apresentará seu pacote de novidades para o primeiro semestre. Ao lado desse lançamento, a empresa deve direcionar todas as energias para a divulgação da linha de implantes Grand Morse. “Trata-se de um conceito novo, por isso esse lançamento foi dividido em três fases. Em 2017, fizemos o lançamento principal, com o implante, kit cirúrgico e principais componentes protéticos. Agora, vamos apresentar alguns componentes que o público ainda não conhece e os implantes com maior diâmetro, utilizados na região posterior”, revela Geninho Thomé, presidente científico e fundador da Neodent.

A empresa também deve aproveitar o Ciosp para divulgar sua recente parceria para a comercialização da escova elétrica Philips Sonicare EasyClean.

Outra novidade do Straumann Group será a chegada do ClearCorrect no Brasil, com lançamento marcado para setembro de 2018. A empresa norte-americana é a segunda maior marca de alinhadores ortodônticos do mundo e foi adquirida pela Straumann no ano passado. "Existe um grupo dentro da companhia totalmente dedicado a esse projeto. O País passará a ter uma solução de alinhadores de qualidade, com entrega rápida e preços acessíveis. A chegada do ClearCorrect causará um grande impacto na Ortodontia brasileira".

Novo centro de distribuição em Curitiba é peça estratégica na expansão da Neodent/Straumann.



NOVO IMPLANTE DE ZIRCÔNIA

A partir do segundo semestre, a empresa abre uma nova frente de divulgação, com o lançamento de um implante cerâmico, totalmente confeccionado em zircônia. O produto será disponibilizado inicialmente a um grupo restrito de profissionais e, posteriormente, lançado nacionalmente.

O novo implante cerâmico está em fase de testes e foi desenvolvido pela Neodent em parceria com a Maxon Motor e a Straumann. O grande diferencial do produto é que ele será produzido a partir da tecnologia injetada, diferentemente do que acontece nos implantes de zircônia usinados da linha Pure, que atualmente é comercializada pela Straumann. O papel da Maxon Motor na parceria foi justamente o de transferir essa tecnologia de produção, já que a empresa acumula 25 anos de experiência com cerâmicas injetadas.

“A tecnologia injetada nos trouxe boas surpresas, pois nos permite maior controle sobre o material na linha de produção”, comenta Thomé. “Buscávamos por um material que tivesse o módulo de elasticidade similar ao do titânio. Os resultados que tivemos até agora nos ensaios mecânicos foram muito bons. Do ponto de vista biológico, já não tenho dúvidas: a zircônia oferece um nível maior de osseointegração comparada ao titânio. Outra vantagem é que a adesão bacteriana à cerâmica é menor. A mucosa se relaciona melhor com a zircônia”, destaca Thomé.

Ainda que a expectativa sobre o implante cerâmico seja cada vez maior, Thomé não acredita que o mercado vá substituir o titânio de forma radical, nesse primeiro momento. “Essas vantagens oferecidas pela zircônia não significam que o titânio não funciona. Pelo contrário, estamos colocando implantes de titânio há 50 anos, e ele nos serviu muito bem até agora. No entanto, o fato é que as cerâmicas evoluíram e hoje dispomos de um material superior para confecção dos implantes, então, por que não usá-lo?”.

 

 

MAIOR DO MUNDO

O potencial de internacionalização da Neodent foi uma das principais razões apontadas pela Straumann quando o grupo adquiriu a empresa brasileira. Passados pouco mais de cinco anos, a promessa começa a se materializar. “A expansão internacional está avançando de forma bastante acelerada, em um ritmo maior do que previmos inicialmente, com boas vendas, principalmente nos Estados Unidos e na Europa. Em breve, nosso volume de vendas para o exterior representará 50% do que vendemos aqui no Brasil, ou seja, estamos falando de um volume significativo de implantes”, projeta Schupp.

Diante do expressivo crescimento comercial, a Neodent enfrentará um problema incomum para empresas brasileiras: as novíssimas instalações da fábrica, inauguradas em agosto, precisarão ser ampliadas novamente. “Nossas projeções mostram que, ao final de 2018, a Neodent se tornará a maior fabricante de implantes do mundo em termos de volume, com produção anual de 4 milhões de unidades. Isso é motivo de orgulho para a toda equipe. No entanto, trabalhando nesse ritmo, nossa nova fábrica chegará ao limite muito em breve. É por isso que já estamos trabalhando de forma avançada para fazer uma nova expansão.

 

  • Imprimir
  • Indique a um amigo