Publicado em: 27/03/2018 às 11h30

O efeito da sinvastatina na cicatrização de tecidos ósseos

Estudo aponta que esse medicamento pode melhorar as condições inflamatórias gengivais que resultam em destruição óssea.

  • Imprimir
  • Indique a um amigo
Substância mostra um novo caminho para a aceleração da cicatrização de tecidos ósseos. (Imagem: Shutterstock)

 

Um estudo realizado por acadêmicos da Faculdade São Leopoldo Mandic, de Campinas (SP), mostra um novo caminho para a aceleração da cicatrização de tecidos ósseos. A sinvastatina, substância utilizada para a redução dos níveis altos de colesterol sanguíneo, pode ser uma aliada do cirurgião-dentista, já que combina a redução da perda óssea com a proteção cardiovascular, em contraste com alguns anti-inflamatórios que têm sido associados com o aumento do risco cardiovascular.

 

O estudo verificou a ação da substância na modulação de mediadores inflamatórios envolvidos com a neoformação óssea, demonstrando que houve aumento de um mediador anti-inflamatório e diminuição dos níveis de um mediador inflamatório. Dessa forma, a sinvastatina pode ser útil no tratamento de condições inflamatórias gengivais, nas quais poderá ocorrer reabsorção óssea.

“Esse estudo é de extrema importância, já que, especialmente na Periodontia, um dos maiores problemas é a perda óssea associada à periodontite. Sendo assim, uma droga rotineiramente utilizada para tratamento de colesterol e que pode estar associada à doença periodontal traz novos rumos na busca pela reabilitação completa da saúde bucal do paciente”, afirma Elizabeth Ferreira Martinez, docente pesquisadora no Instituto e Centro de Pesquisas São Leopoldo Mandic.

A sinvastatina é uma estatina que pode produzir uma série de efeitos benéficos, tanto para a região dentária quanto na redução da hipercolesterolemia, que é a elevação da taxa de colesterol no sangue. Além disso, ela pode auxiliar na redução da inflamação sistêmica, estabilização de placas ateroscleróticas (doença vascular crônica), inibição da síntese de algumas moléculas solúveis responsáveis em mediar a inflamação e ação no tecido ósseo.

“Tendo como alvo o ganho ósseo envolvido nos tratamentos da cavidade bucal, esse estudo preliminar é importante, por exemplo, no tratamento complementar da doença periodontal. Diferentemente dos estudos já apresentados, esse objetivou a avaliação da sinvastatina, em um modelo in vivo de doença periodontal, especialmente avaliando alguns mediadores pró e anti-inflamatórios envolvidos na modulação da resposta óssea”, explica José Carlos Elias Mouchrek Júnior, autor do estudo.

  • Imprimir
  • Indique a um amigo