Publicado em: 27/03/2018 às 11h35

O leão chegou: não caia na malha fina

Veja as mudanças deste ano nas regras e no sistema para a declaração do imposto de renda.

  • Imprimir
  • Indique a um amigo
Os cirurgiões-dentistas não podem deixar de lado a organização e a sistematização financeira. (Imagem: Shutterstock)


Por Andressa Trindade


A declaração do imposto de renda 2018, que pode ser feita até 30 de abril, apresenta algumas mudanças para este ano. As alterações, segundo especialistas, visam deixar o processo mais assertivo e minimizar possíveis erros. “A cada ano, o sistema é renovado para que os cruzamentos automáticos se refinem”, explica Maurício Motta, cirurgião-dentista e diretor da Motta Contabilidade Empresarial.

Na declaração dos profissionais de Saúde, é necessário informar o número de identificação do conselho da categoria e os dados relacionados ao livro-caixa, como os CPFs de todos os pacientes atendidos, as despesas e os Documentos de Arrecadação de Receitas Federais (Darfs) de recolhimento mensal. Ele destaca, principalmente para os profissionais da Saúde, o quanto é importante que o livro-caixa seja rigorosamente atualizado e revisado – de preferência a cada lançamento e mensalmente.

Esse é, aliás, o primeiro passo para não cair na malha fina. “Há outros fatores determinantes, como incluir corretamente as receitas e despesas no livro-caixa, pagar o Darf mensal quando atingir o valor tributado e incluir na declaração todas as informações necessárias de bens e direitos adquiridos ou vendidos no ano-calendário de 2017”, explica. Mas, se mesmo assim o profissional cair na malha fina, a orientação é que ele verifique o motivo no site da Receita Federal e já faça um agendamento para comparecer pessoalmente, com os documentos necessários, assim o fiscal poderá analisar a situação.

Os cirurgiões-dentistas, que direcionam toda a atenção e energia ao dia a dia clínico, eventos e demais compromissos acadêmicos, acabam deixando de lado a organização e a sistematização financeira. A falta de formação na área, de conhecimentos básicos, de tempo e de interesse tornam a gestão do negócio um desafio. “O erro mais comum, no caso dos dentistas, é não efetuar o recolhimento do imposto mensal, deixando para fazer o pagamento apenas na declaração de imposto de renda”, afirma.

A multa para quem realiza a declaração do imposto de renda fora do prazo é de 1% por mês de atraso sobre o imposto devido, sendo que o valor mínimo é de R$ 165,74 e o valor máximo é de 20% sobre o imposto devido. Por isso, existe uma recomendação que nunca muda, não importa o ano ou as alterações do sistema: não deixe a declaração para a última hora. 
 

AS PRINCIPAIS MUDANÇAS

• O layout do programa foi remodelado. Uma das novidades é o painel inicial contendo informações das fichas, criadas com base no histórico de utilização do ano anterior, e que podem ser relevantes na hora do preenchimento da declaração.

• Criação de campos específicos para informações complementares relacionadas a alguns tipos de bens. No caso dos imóveis, por exemplo, pedem-se dados como data de aquisição, endereço, Inscrição Municipal, IPTU e metragem da área do imóvel. Dependendo da natureza de cada bem, serão solicitadas informações complementares.

• Agora, há a obrigatoriedade de informar o CPF de dependentes a partir dos oito anos, completados até 31/12/2017. A partir de 2019, essa regra será válida para qualquer idade.

• Até 2017, era possível imprimir apenas a quota do pagamento do imposto do próprio mês, sendo necessário fazer o recálculo das demais em outro momento. Para 2018, há a opção de impressão do Darf de todas as quotas do imposto, inclusive em atraso.

  • Imprimir
  • Indique a um amigo