Publicado em: 22/05/2018 às 17h11

IN 2019 confirma Dario Adolfi como presidente do evento

Implantodontia de excelência para todas as tribos: Oswaldo Scopin e Sidney Kina estarão na vice-presidência, reforçando o time da Prótese.

  • Imprimir
  • Indique a um amigo

Dario Adolfi confirma sua participação como presidente do IN 2019 e revela as primeiras novidades que estão sendo preparadas para o principal encontro da Implantodontia na América Latina.

 

"Vamos garantir espaço em nossa programação para tudo aquilo que é relevante para o clínico", pontua Dario Adolfi.

 


Os primeiros preparativos para o IN 2019 – Latin American Osseointegration Congress já começaram. O evento acontecerá entre os dias 21 e 24 de agosto em São Paulo, no Palácio de Convenções do Anhembi.

 

A primeira iniciativa da empresa responsável pela realização do evento, a VM Comunicação, foi o anúncio do protesista e ceramista Dario Adolfi para presidir esta edição. Ao lado dele, estarão os vice-presidentes do evento Oswaldo Scopin e Sidney Kina. O evento é oficialmente promovido pela revista ImplantNewsPerio.

Faltando pouco mais de um ano para o início do encontro, os organizadores trabalham em diversas frentes simultâneas para que tudo esteja em ordem até agosto, quando as portas do Anhembi se abrirão. Nos próximos meses, os ministradores internacionais e a programação científica do congresso devem ser divulgados.

Para descobrir mais sobre os preparativos do principal encontro da Implantodontia na América Latina, entrevistamos Dario Adolfi, que revelou suas expectativas para o IN 2019. Confira a entrevista.  

 

ImplantNewsPerio – Como você recebeu o convite para presidir o IN 2019?

Dario Adolfi– Evidentemente, recebi o convite com muita satisfação, mas também com a sensação de que estava recebendo uma missão de grande responsabilidade. Trata-se de um dos maiores eventos do mundo, e o nível de exigência é alto. Mesmo diante de um desafio como esse, eu me sinto à vontade, pois estamos montando uma equipe científica muito forte. Tenho certeza de que será um evento consistente, fiel à tradição do IN.

 

INP – Como estão os preparativos para o evento? O que você prevê para esta edição?

DA – Neste momento, estamos definindo os professores que nos apoiarão em cada comissão e os ministradores internacionais. Paralelamente, a equipe da VM Comunicação está montando a exposição promocional, com a presença das principais empresas que atuam no mercado brasileiro. No que diz respeito à programação do evento, teremos os professores Paulo Rossetti e Maurício Adolfi à frente da coordenação científica. Também temos outros nomes importantes confirmados que serão divulgados mais para frente. Trabalharemos com o conceito “Novas ferramentas para uma Implantodontia de excelência”, ou seja, queremos valorizar os recursos mais atuais em cada área, com foco na prática de uma Implantodontia de alto nível, considerando sua eficiência funcional e estética em cada situação clínica. Confesso que a palavra “excelência” é inspiradora para mim. É um termo que me deixa muito motivado como ceramista e protesista, pois acredito que devemos colocar a alma e perseguir a excelência em tudo aquilo que fazemos. Quando falamos em “Implantodontia de excelência”, esperamos que os participantes do IN sintam-se engajados a fazer seu trabalho clínico com resultados cada vez melhores.

 

INP – A Implantodontia passa por uma transição tecnológica em diversos aspectos, mas a maior parte dos clínicos ainda não vive essa realidade. Como isso vai influenciar a programação científica do IN 2019?

DA – Nas edições anteriores do IN essa relação entre futuro e presente foi muito bem trabalhada. De fato, se você considerar tudo o que já existe disponível no mercado em termos de planejamento cirúrgico digital e sistemas CAD/CAM para planejamento e confecção de próteses, a realidade das clínicas brasileiras está muito distante daquilo que a indústria oferece. Além disso, existem diversas outras tecnologias subutilizadas, por diversas razões. Seja como for, vamos garantir espaço em nossa programação para tudo aquilo que é verdadeiramente relevante para o clínico. Sim, teremos a tecnologia de ponta e, sim, também teremos espaço para as técnicas tradicionais. Respeitaremos a tradição de fazer do IN um congresso plural, com espaço para todas as “tribos” da Implantodontia.

 

INP – Já é possível antecipar alguns nomes de ministradores internacionais que virão a São Paulo no ano que vem?

DA – Infelizmente, não posso adiantar nenhuma informação de forma extraoficial nesse sentido. Essa seleção é feita a dedo e cada convite internacional é negociado com muito zelo. Estamos falando de professores que são considerados os melhores do mundo em suas áreas. Se você observar as edições anteriores do IN, vai perceber que o congresso sempre montou uma grade internacional fortíssima. Para a edição 2019, estamos batalhando em um time de ministradores bastante especial. Se tudo der certo, teremos um IN memorável.

 

INP – A Prótese Dentária é um componente fundamental no processo de reabilitação oral. Como ela será abordada no IN 2019?

DA – Como ceramista e protesista, eu não poderia decepcionar nesse quesito. Os participantes do congresso podem ter certeza de que nossa programação apresentará o que existe de mais atual no campo da prótese sobre implantes. No entanto, devo lembrar que a Implantodontia brasileira conta com muito mais cirurgiões do que a média mundial. Por isso, teremos uma programação muito forte também no que diz respeito à etapa cirúrgica, uso de biomateriais e nos aspectos periodontais da Reabilitação Oral. Veja bem, por mais que um profissional esteja focado em um determinado campo de atuação, ele precisa se manter relativamente bem informado e atualizado sobre as demais áreas de atuação, porque os tratamentos de hoje são cada vez mais multidisciplinares. Na Reabilitação Oral, tudo caminha junto. Não há mais espaço na Implantodontia para protesistas e cirurgiões que não se conversam.

  • Imprimir
  • Indique a um amigo