Publicado em: 28/11/2018 às 09h50

Maturidade

Paulo Rossetti e Antonio W. Sallum destacam que os profissionais de Odontologia estão mais observadores e mais questionadores, além de terem mais responsabilidade.

  • Imprimir
  • Indique a um amigo

É sabido que a placa dentobacteriana pode se acumular supra ou subgengivalmente. Na sua composição, encontramos um biofilme tridimensional funcionalmente organizado e potencialmente danoso. Em muitos casos, serão necessários retalhos totais para eliminar este fator. Entretanto, a placa está enquadrada como evidência indireta do grau de progressão da doença periodontal em três cenários: 1) a quantidade de biofilme pode não refletir a perda correspondente; 2) a perda correspondente pode ser compatível com a quantidade de biofilme; ou 3) a destruição pode ultrapassar significativamente a quantidade de biofilme. Um dente, mesmo com periodonto reduzido, se não tiver mobilidade aumentada, pode ser mantido na cavidade oral.

A placa dentobacteriana também consegue se acumular acima ou abaixo da margem peri-implantar. Pacientes com histórico de doença periodontal e pobre controle de placa são candidatos em potencial à doença peri-implantar. Os defeitos ósseos são de difícil resolução e não há terapia padrão-ouro. Entretanto, a interface osso-implante ainda resiste se o implante tiver pelo menos metade do seu corpo inserido e não mostrar mobilidade.

Nesta equação, colhemos agora o que a Ortopedia constatou há uma longa data: partículas de titânio, quando desprendidas pelo atrito (colocação do implante, implantoplastia e conexão na interface implante/pilar) ou corrosão (diferença de potencial entre ligas) podem gerar perda peri-implantar.

Ainda, este número da ImplantNewsPerio traz as coberturas completas das edições 2018 dos congressos Celebration PróteseNews, Consenso Biomateriais e Abross. Um ponto em comum de todos eles: o excelente nível dos palestrantes e dos congressistas. Estamos mais observadores e mais questionadores, e temos mais maturidade e responsabilidade.

Em tempos de mídia em transe, só uma coisa não pode mudar: a qualidade da revisão. Por isso, agradecemos a todos os que dedicam tempo para beneficiar os nossos leitores e, por conseguinte, nossos pacientes.

O ano de 2018 está chegando ao fim e ele foi intenso. Estamos prontos para receber o próximo ano. Feliz 2019!


 

Paulo Rossetti

Editor científico
de Implantodontia
da ImplantNewsPerio

Antonio W. Sallum

Editor científico
de Periodontia
da ImplantNewsPerio


 

  • Imprimir
  • Indique a um amigo