Publicado em: 18/04/2019 às 15h11

Instituto P-I Brånemark tem um novo começo

Ao longo desse ano, este espaço será reservado para a divulgação do trabalho e das iniciativas do Instituto P-I Brånemark.

  • Imprimir
  • Indique a um amigo
P-I Brånemark sempre teve noção da responsabilidade social que sua criação traria. (Ilustração: Lézio Júnior)


“Anesthesia”, disse o Dr. Per-Ingvar Brånemark antes de cortar a faixa de inauguração e oficialmente abrir as portas do Instituto P-I Brånemark, em 2005, na cidade de Bauru, no interior paulista.

Muitos foram os colaboradores, de todas as áreas, que passaram pelo Instituto. E muitas foram as vidas transformadas, com próteses intraorais e bucomaxilofaciais dos mais diversos tipos. Mas, infelizmente, depois de anos cumprindo sua missão e severamente adoentado, P-I Brånemark nos deixou em 2014. Entretanto, sua cultura já estava disseminada em todo o planeta Terra com uma frase exemplar: “ninguém deveria morrer com a dentadura em um copo d’água”.

Reconhecemos que são outros tempos na Implantodontia, tanto em volume de conhecimento quanto em número de empresas e disponibilidades tecnológicas. No entanto, uma coisa nunca muda: o número de pessoas edêntulas que necessitam de implantes dentários. No Brasil, estamos virando a pirâmide etária (meia-idade em ascensão) e deixando para trás (ainda que lentamente) o período de recessão econômica. Isto tem um impacto direto na capacidade financeira, principalmente dos que precisam “matar um leão” todos os dias para continuar a ver o fio de esperança no horizonte. Além disso, se tirarmos cinco minutos para olharmos a literatura, é possível verificar todos os tipos de complicações sistêmicas que a ausência dentária causa, adicionados aos efeitos locais já consagrados na musculatura da face e no tecido ósseo.

Estando presente ou não, P-I Brånemark sempre teve noção da responsabilidade social que sua criação traria e como ela elevaria o papel da Odontologia na promoção da saúde. E é com muita honra que o Instituto P-I Brånemark se prepara para retomar suas atividades no primeiro semestre de 2019 em sede própria, reunindo grandes associados e apoiadores na Ciência e na prática clínica. Nesta primeira coluna, deixamos uma lição: tudo começa pela boca porque, sem poder comer ou sorrir, a vida não faz sentido. E nossos pacientes agradecem.

  • Imprimir
  • Indique a um amigo