Publicado em: 31/05/2019 às 09h35

Linha CAD/CAM: um passo para o futuro

A nova linha CAD/CAM da Implacil De Bortoli é composta por componentes protéticos compatíveis aos sistemas digitais.

  • Imprimir
  • Indique a um amigo

Linha CAD/CAM


A roda da inovação não para de girar na Odontologia, e o mesmo acontece na Implacil De Bortoli. A tecnologia CAD/CAM revolucionou a maneira de confeccionar próteses no mundo inteiro e a Implantodontia precisava acompanhar essa transformação, disponibilizando componentes específicos para serem usados com as ferramentas digitais.

Diante desse cenário, a Implacil De Bortoli lançou uma linha de componentes digitais, composta por cricatrizadores personalizados para confeccionar prótese sobre base T e também por base T personalizada para mini abutments – que é uma patente mundial da empresa.

Nessa edição, vamos falar sobre as características desses produtos, as indicações de uso e seu desempenho estético e biológico. A seguir, saiba em detalhes por que a Linha CAD/CAM é uma boa escolha para você e para o seu paciente.


Nilton De Bortoli Jr.
Diretor científico da Implacil De Bortoli

 

Um passo para o futuro

A nova linha CAD/CAM da Implacil De Bortoli
é composta por componentes protéticos compatíveis aos sistemas digitais.


Os avanços tecnológicos impulsionaram grandes transformações na Odontologia, e a maior delas, sem dúvida, foi o desenvolvimento do sistema CAD/CAM – recurso responsável por elevar a Reabilitação Oral a outro patamar. Atenta a essas movimentações do mercado, a Implacil De Bortoli inovou mais uma vez ao reformular sua linha CAD/CAM, que agora engloba todas as etapas protéticas, desde o processo de reabertura.

Alfredo Mikail Melo Mesquita, doutor em Prótese Dentária, explica que essa nova linha é composta pela base T, que permite a confecção de pilares de zircônia, metal, coroas unitárias aparafusadas e cimentadas. Esse componente é encontrado em dois diâmetros (3,5 mm e 4 mm) e está disponível para as plataformas de implante hexágono externo, interno e cone-morse com diferentes alturas de cinta. Todos os produtos podem ainda ser utilizados por escaneamento intraoral ou modelos em scanners de bancada.

Segundo Eduardo Mukai, implantodontista e mestre em Biomateriais, que participou desse projeto de reestruturação dos produtos, agora a Implacil De Bortoli possui cicatrizadores personalizados para confeccionar prótese em cima das bases T, que são os abutments do sistema CAD/CAM. Também foi desenvolvida uma base T personalizada para mini abutments, que é uma patente mundial da Implacil De Bortoli. “Com ela, conseguimos realizar próteses fixas parafusadas e próteses barra de protocolos fresadas, que até o momento era uma das limitações existentes no sistema”, explica.

Daniel
Morita
Eduardo
Mukai
Luiz Fernando
Martins André
Alfredo Mikail
Melo Mesquita


Luiz Fernando Martins André, mestre em Implantodontia e especialista em Prótese Dentária, lembra que apenas a Implacil De Bortoli possui pilares base T para prótese múltipla. “É uma exclusividade, porque todos os sistemas CAD/CAM em cima de base T são voltados para próteses unitárias. Com a nova linha CAD/CAM, o clínico conseguirá fazer prótese múltipla sobre minipilares cônicos, angulados, minicônicos fits etc”, diz.

Adicionada a isso, a criação da base T para mini-implante cônico permite a confecção de próteses múltiplas sobre minicônicos retos ou angulados, realizando o escaneamento sobre essas bases como links metálicos em estruturas múltiplas metálicas ou cerâmicas.

Além dos cicatrizadores personalizados, a base T apresenta uma linha orientadora que facilita a instalação do scanbody (transfer digital). Dessa forma, é possível visualizar a localização do dot (peça para fazer o index da transferência digital). Portanto, essa linha facilita a rotina clínica e propicia maior precisão e velocidade em relação ao resultado. 

Comparado ao método convencional de confecção de prótese, o CAD/CAM oferece ao profissional a opção de obter coroas metal free que, por serem livres metal, evitam uma translucidez que não é agradável para o resultado do trabalho. Como as peças possuem adaptação de 8 μm – o que não acontece com procedimentos realizados de maneira convencional –, biologicamente, são mais amigáveis aos tecidos. “O espaçamento entre a peça e a base T não passa de 8 μm, então, a possibilidade de alojamento de bactérias é muito menor. Ao trabalhar com sistema cerâmico, a lisura em volta desse material evita a adesão de bactéria e placa bacteriana, consequentemente os problemas peri-implantares diminuem de maneira muito drástica”, explica Eduardo Mukai.

Figura 1 – Hexágono externo, hexágono interno e seus respectivos pilares base T.

 

Figura 2 – Destaque para a linha orientadora, que facilita a localização do dot.

 

Figura 3 – Componente para mini-implante cônico.

 

No aspecto clínico, a nova linha viabiliza a confecção de coroas e pilares em sistemas chairside, tornando o processo reabilitador mais rápido, pois é realizado em sessão única. “Para o usuário do sistema ou para quem possui um sistema compatível, também há possibilidade de realizar uma coroa CAD/CAM com as vantagens dos sistemas cerâmicos CAD/CAM e sem a necessidade de ter equipamento – basta transferir a plataforma de implante por processo convencional de moldagem. Do ponto de vista biológico e estético, ter um diâmetro de 3,5 mm permite um melhor perfil de emergência nos casos anteriores com a adaptação precisa do CAD/CAM”, destaca Alfredo Mikail.

De acordo com Daniel Morita, técnico em prótese dentária, com a linha CAD/CAM da Implacil De Bortoli não é necessário fazer moldes, uma etapa que sempre se torna desconfortável para os pacientes. Além disso, os produtos são altamente indicados para casos mais estéticos na região anterior. “O resultado pode mudar muito quando se executa no sistema CAD/CAM. Essa tecnologia está aí para favorecer, ajudar e aumentar a precisão do produto final. Os aspectos clínicos melhoram, pois usamos materiais livre de metal e os biológicos também, por conta da adaptação perfeita dos componentes, pois não passam por modificações protéticas”, afirma.

Luiz Fernando Martins André revela que, para o clínico, o fator positivo é poder trabalhar com próteses metal free, realizar a customização dos pilares e fazer a cimentação extraoralmente, evitando a agressão ao tecido gengival e melhorando a resposta ao tecido peri-implantar. Os resultados obtidos até o momento são extremamente positivos. “Estamos replicando aquilo que a literatura já fala sobre usar o CAD/CAM em processos de reabilitações sobre as bases dos implantes. Com a precisão, a logística e o desenvolvimento de novas peças e produtos, a Implacil De Bortoli está, com certeza, caminhando para uma solução digital muito mais segura e, consequentemente, propiciando saúde e qualidade de vida aos nossos pacientes”, conclui Mukai.

 

 

 

  • Imprimir
  • Indique a um amigo