Publicado em: 12/08/2019 às 07h55

Técnica de summers através da cirurgia guiada

Virada Digital: Diego Zimmermann apresenta caso clínico com elevação do assoalho sinusal por técnica de Summers guiada através de instrumental modificado.

  • Imprimir
  • Indique a um amigo

VIRADA DIGITAL NA ODONTOLOGIA

As conquistas recentes proporcionadas pela tecnologia digital abriram um novo universo de possibilidades na Odontologia. No entanto, por uma série de motivos, a maioria dos cirurgiões-dentistas permanece marginalizada aos novos recursos da Odontologia Digital.

Para virar esse jogo e desatar o nó da Odontologia Digital no Brasil, as revistas ImplantNewsPerio e PróteseNews apresentam a Virada Digital. Trata-se de um projeto multiplataformas para mostrar os melhores caminhos na transformação digital.


Uma paciente do sexo feminino, com 38 anos de idade e apresentando síndrome do pânico, havia desistido do tratamento de implante após a descrição do plano de tratamento inicial, com elevação de seio maxilar por acesso lateral. Após estudo do caso e planejamento virtual, foi proposto o procedimento de elevação do assoalho sinusal por técnica de Summers1-2 guiada através de instrumental modificado. Então, a paciente apresentou-se mais colaborativa com o novo plano de tratamento, por ser menos invasivo.

No software de planejamento3-4 (Implant Studio, 3Shape – Copenhague, Dinamarca) foi aferida altura óssea remanescente (4 mm) e simulado um implante de 8,5 mm (Figuras 1), seguido de desenho do guia (Figura 2). O guia foi impresso em resina MED 610 na impressora Object260 (Stratasys – Rehovot, Israel) pela central de planejamento (SmartSolutions – Rio de Janeiro, Brasil).

Figuras 1 – Planejamento virtual da posição do implante.

 

Figura 2 – Design do guia cirúrgico.

 

O procedimento cirúrgico foi realizado com anestesia local e colaboração da paciente. O guia foi posicionado nos dentes e foi realizada a remoção do tecido mole pelo instrumental punch do kit de cirurgia guiada. Em seguida, foram utilizados instrumentais modificados de Summers (Maximus – Contagem, Brasil) para a elevação do assoalho do seio maxilar (Figura 3) até o comprimento definido no planejamento virtual. Após constatada a integridade da membrana, foi realizado enxerto xenógeno (Extragraft, Silvestre Labs – Rio de Janeiro, Brasil) utilizando o próprio elevador de Summers para inseri-lo. Em seguida, foram instalados um implante hexágono externo de 4,5 mm x 8,5 mm (Strong sw, SIN – São Paulo, Brasil) e cicatrizador (Figura 4).

 

Figura 3 – Instrumental de Summers modificado, utilizado através do guia cirúrgico.

 

Figura 4 – Raio X imediatamente após a instalação do implante.

 

Após oito meses, a paciente retornou para reabilitação protética (Figuras 5), quando foi feita a moldagem em silicone de adição e escaneamento intraoral. Então, o laboratório (CentroLab – Rio de Janeiro, Brasil) fez o desenho virtual (Figura 6) e a fresagem (Motion2, Amann Girrbach – Koblach, Áustria) da coroa em dissilicato de lítio3 (e.max, Ivoclar Vivadent – Schaan, Liechtenstein), que foi cimentada sobre link de titânio do mesmo sistema de implantes após maquiagem e glaze.

Figuras 5 – Condição clínica e radiográfica após oito meses da cirurgia.

 

Figura 6 – Design da prótese sobre implante.


Na consulta seguinte, a paciente recebeu a coroa monolítica, que foi parafusada com o torque recomendado pelo fabricante, e houve o fechamento provisório do acesso do parafuso com resina fotopolimerizável (Figuras 7 e 8).

Figuras 7 – Prótese monolítica sobre implante instalada e ajustada.

 

Figura 8 – Acompanhamento após seis meses de instalação da prótese.

 

REFERÊNCIAS
1. Pjetursson BE, Rast C, Brägger U, Schmidlin K, Zwahlen M, Lang NP. Maxillary sinus floor elevation using the (transalveolar) osteotome technique with or without grafting material. Part I: implant survival and patients’ perception. Clin Oral Implants Res 2009;20(7):667-76.
2. Summers RB. The osteotome technique: part 3-Less invasive methods of elevating the sinus floor. Compendium 1994;15(6):698-704 (passim; quiz 710).
3. De Angelis P, Passarelli PC, Gasparini G, Boniello R, D’Amato G, De Angelis S. Monolithic CAD-CAM lithium disilicate versus monolithic CAD-CAM zirconia for single implant-supported posterior crowns using a digital workflow: a 3-year cross-sectional retrospective study [On-line]. Disponível em <http://dx.doi.org/10.1016/j.prosdent.2018.11.016>. Acesso em: 12-6-2019.
4. Tan PLB, Layton DM, Wise SL. In vitro comparison of guided versus freehand implant placement: use of a new combined TRIOS surface scanning, implant studio, CBCT, and stereolithographic virtually planned and guided technique. Int J Comput Dent 2018;21(2):87-95.

 

Diego Zimmermann

Doutorando e mestre em Reabilitação Oral, e professor da especialização em Implantodontia e Prótese Dentária – Universidade Veiga de Almeida; Especialista em Implantodontia e Prótese Dentária – Universidade Estadual do Vale do Acaraú; Coordenador científico da Smart Solutions.

 

 

 

 

 

 

  • Imprimir
  • Indique a um amigo