INPN - O portal das revistas ImplatNews e PerioNews
 
Compartilhe  Compartilhe Twitter Imprimir Indique a um amigo
Publicado em: 12/12/2012 11h21

Protocolo cirúrgico anti-infeccioso para o tratamento da peri-implantite.

Análise crítica do artigo originalmente publicado na revista Clinical Oral Implants.

A cada edição da revista PerioNews, a equipe do Prof. Antonio Wilson Sallum promove a análise crítica de alguns dos artigos científicos de maior destaque publicados em periódicos de circulação internacional. Eles é um deles. Confira!

Heitz-Mayfield LJA, Salvi GE, Mombelli A, Faddy M, Lang NP. Anti-infective surgical therapy of periimplantitis. A 12-month prospective clinicas study. Clin. Oral Implants Res 2011;22(8):1-6.

Por que é interessante: o objetivo primário do tratamento para peri-implantite é resolver a inflamação e impedir a progressão da doença. Como a etiologia da peri-implantite é similar a da periodontite, protocolos anti-infecciosos comparáveis àqueles usados para tratar a periodontite têm sido adotados para tratar a peri-implantite. Entretanto, há poucos estudos clínicos disponíveis avaliando a efetividade desses protocolos para alcançar o mencionado objetivo primário. Sendo assim, o objetivo desse estudo coorte prospectivo foi avaliar um protocolo cirúrgico anti-infeccioso para o tratamento da peri-implantite.

Desenho experimental: 36 implantes em 24 pacientes parcialmente dentados com peri-implantite moderada a avançada foram tratados usando um protocolo cirúrgico anti-infeccioso, que incluía debridamento a retalho aberto e descontaminação da superfície do implante, associado com amoxicilina e metronidazol sistêmicos. O resultado das variáveis de interesse após o tratamento foi: (a) média da profundidade de sondagem nos implantes tratados (medida nas quatro faces do implante); (b) número de sítios com sangramento a sondagem positivo nos implantes tratados; (c) presença ou ausência de supuração nos implantes tratados; (d) recessão da mucosa na face vestibular de cada implante. Essas variáveis foram avaliadas no Baseline e em três, seis e 12 meses após o tratamento.

Os achados: houve 100% de sobrevida dos implantes tratados nos 12 meses. Nos três meses após o tratamento, houve reduções estatisticamente significantes (p < 0,01) na média de profundidade de sondagem, sangramento a sondagem e supuração. Quanto maior a média de profundidade de sondagem no Baseline, maior a redução desta em três meses após tratamento. Em três meses, houve também média significante de recessão na mucosa vestibular de 1 mm (p < 0,001). Todas essas mudanças foram mantidas em seis e 12 meses. Em 12 meses, todos os implantes tratados tiveram média de profundidade de sondagem < 5 mm, enquanto que 47% dos implantes tiveram completa resolução da inflamação (sangramento a sondagem negativa). Em 12 meses, 92% dos implantes tiveram os níveis de crista óssea estáveis ou houve ganho ósseo. Não houve efeitos significantes do fumo em quaisquer dos resultados no tratamento.

Comentários: os resultados desse estudo demonstraram que peri-implantite moderada a avançada pode ser tratada com sucesso, na maioria dos pacientes, quando um rigoroso protocolo anti-infeccioso é seguido. Além disso, é importante ressaltar que protocolo rigoroso pós-operatório, ótimo controle de placa e aderência do paciente às terapias de manutenção são requisitos cruciais para o sucesso do tratamento e não devem ser subestimados.

Unitermos: Anti-infective treatment; Chlorhexidine; Implant surface; Peri-implantitis; Surgical debridement; Systemic antimicrobials.

Revisado por: Viviene Santana Barbosa. Mestranda em Periodontia - FOP-Unicamp.



E-mail
Cadastre seu e-mail e receba nossas Newsletters