INPN - O portal das revistas ImplatNews e PerioNews
 
Compartilhe  Compartilhe Twitter Imprimir Indique a um amigo
Publicado em: 13/03/2013 11h53

Associação entre periodontite, vaginose bacteriana e comportamento sexual de risco

Análise crítica do artigo originalmente publicado no Journal of Clinical Periodontology.

A cada edição da revista PerioNews, a equipe do Prof. Antonio Wilson Sallum promove a análise crítica de alguns dos artigos científicos de maior destaque publicados em periódicos de circulação internacional. Eles é um deles. Confira!

Zabor EC, Klebanoff M, Yu K, Zhang J, Nansel T, Andrews W et al. Association between periodontal disease, bacterial vaginosis, and sexual risk behaviours. J Clin Periodontol 2010;37:888-93.

Por que é interessante: a doença periodontal é um grupo de doenças orais inflamatórias e diversos estudos têm sugerido que a periodontite poderia estar associada à ocorrência de parto prematuro, bebê de baixo peso ao nascer e pré-eclâmpsia. A vaginose bacteriana é uma condição de alta prevalência e com etiologia desconhecida. A vaginose afeta aproximadamente 30% das mulheres entre 14 e 49 anos.

Essa condição é caracterizada por uma diminuição das espécies de lactobacillus normalmente predominantes e por um correspondente aumento na diversidade de microrganismos anaeróbios. Tanto a periodontite como a vaginose têm sido relacionadas ao aumento de partos prematuros e de bebês de baixo peso ao nascer. Este estudo teve como objetivo analisar a relação entre periodontite e vaginose.

Desenho experimental: foram analisados dados de 3.569 mulheres incluídas nesse estudo. A doença periodontal foi definida como a presença de três ou mais sítios com perda de inserção maior ou igual a 4 mm. A vaginose bacteriana foi diagnosticada como nível maior ou igual a sete de coloração gram Nugent.

Os achados: 28% das mulheres com vaginose bacteriana apresentaram doença periodontal, correspondendo um risco 1,29 (95% CI: 1,12, 1,47) vezes maior de presença de doença periodontal entre mulheres com vaginose. Sexo oral com parceiros não circuncidados foi associado com um risco 1,28 (95% CI: 0,97, 1,69) vezes maior de desenvolvimento de doença periodontal, quando comparadas com sexo oral com parceiros circuncidados. No entanto, essa associação não foi estatisticamente significativa.

Comentários: a associação entre periodontite e vaginose foi pequena, no entanto, significante. Essa associação precisa ser investigada para que se possa entender os mecanismos que as duas condições compartilham. Pode ser que exista uma relação positiva entre periodontite, práticas sexuais e condição de circuncisão do parceiro e essa relação deve ser investigada. Somente depois de entender essas relações, as respostas do organismo poderão ser moduladas ou as condições evitadas para que se possa diminuir o risco de ocorrência de parto prematuro.

Unitermos: Bacterial; Bacterial infections; Epidemiology; Periodontal diseases; Sexual behaviour; Vaginosis.

Revisado por: Mônica Grazieli Corrêa. Doutoranda em Periodontia - FOP-Unicamp.

 



E-mail
Cadastre seu e-mail e receba nossas Newsletters