INPN - O portal das revistas ImplatNews e PerioNews
 
Compartilhe  Compartilhe Twitter Imprimir Indique a um amigo
Publicado em: 27/03/2013 10h56

Relação entre periodontite e força de oclusão durante a fase de manutenção

Análise crítica do artigo originalmente publicado no Journal of Periodontal Research.

A cada edição da revista PerioNews, a equipe do Prof. Antonio Wilson Sallum promove a análise crítica de alguns dos artigos científicos de maior destaque publicados em periódicos de circulação internacional. Eles é um deles. Confira!

Takeuchi N, Ekuni D, Yamamoto T, Morita M. Relationship between the prognosis of periodontitis and occlusal force during the maintenance phase - a cohort study. J Periodont Res 2010;45:612-17.

Por que é interessante: a manutenção da saúde após o tratamento periodontal é um grande desafio para os periodontistas. Existem vários estudos que discutem os fatores de risco para a progressão da doença periodontal e que afirmam que durante a fase de manutenção o risco dessa progressão é maior. Como fatores de risco durante a fase de manutenção podem ser considerados: perda óssea inicial, envolvimento de furca, número de bolsas residuais, altas contagens de Porphyromonas gingivalis e Treponema denticola, número de dentes perdidos, tabagismo e estresse. Além desses fatores, o trauma oclusal tem sido sugerido como fator de risco durante a fase de manutenção. Poucos estudos têm analisado a relação entre progressão da periodontite e fatores oclusais em sujeitos individualmente. Portanto, o objetivo desse estudo de coorte foi investigar alguma relação entre habilidade de mordida (força oclusal, pressão oclusal, área de contato oclusal) e a progressão da periodontite durante a fase de manutenção.

Desenho experimental: 194 pacientes foram monitorados durante três anos durante a fase de manutenção da terapia periodontal. Os sujeitos com progressão da doença (grupo progressão) foram definidos tendo-se como base a presença de dois ou mais dentes com perda de inserção proximal longitudinal de 3 mm, ou mais, ou perda dentária como resultado da doença  periodontal durante o estudo. Indivíduos com alta força oclusal foram identifi cados como homens com força maior do que 500 N e mulheres com força oclusal maior do que 370 N. A associação entre capacidade de mordida e a progressão da doença foi investigada utilizando-se regressão logística.

Os achados: havia 83 sujeitos no grupo progressão e 111 no grupo não progressão. A regressão logística demonstrou que a progressão da doença periodontal estava significantemente associada com a presença de um ou mais dentes com nível de inserção clínica de sete ou mais milímetros (odds ratio: 2.397; 95% intervalo de confi ança: 1.306 - 4.399) (p = 0,005) e baixa força oclusal force (odds ratio: 2.352; 95% intervalo de confi ança: 1.273 - 4.346) (p = 0,006). Sendo  assim, a presença de um ou mais dentes com nível de inserção clínica maior ou igual a sete e baixas forças oclusais  podem ser fatores de risco para a progressão da doença  periodontal durante fase de manutenção. 

Comentários: este estudo investiga a infl uência do trauma  de oclusão sobre a progressão da periodontite. Muitas vezes, durante o tratamento periodontal e a fase de manutenção, os fatores oclusais são negligenciados e não recebem sua devida importância. Uma simples análise das forças oclusais pode melhorar tanto a manutenção dos resultados do tratamento periodontal como força mastigatória e qualidade de vida dos pacientes.

Unitermos: Occlusal force; Risk factors; Periodontal progression; Maintenance phase.

Revisado por: Mônica Grazieli Corrêa. Doutoranda em Periodontia - FOP-Unicamp.



E-mail
Cadastre seu e-mail e receba nossas Newsletters