INPN - O portal das revistas ImplatNews e PerioNews
 
Compartilhe  Compartilhe Twitter Imprimir Indique a um amigo
Publicado em: 02/04/2013 16h11

A eficácia do uso de clorexidina contra a placa bacteriana

Análise crítica do artigo originalmente publicado no Journal of Clinical Periodontology.

A cada edição da revista PerioNews, a equipe do Prof. Antonio Wilson Sallum promove a análise crítica de alguns dos artigos científicos de maior destaque publicados em periódicos de circulação internacional. Este é um deles. Confira!

Berchier CE, Slot DE, Van Der Weijden GA. The efficacy of 0.12% chlorhexidine mouthrinse compared with 0,2% on plaque accumulation and periodontal parameters: a systematic review. J Clin Periodontol 2010;37:829-39.

Por que é interessante: o digluconato de clorexidina tem seu uso consolidado como agente de controle químico de placa e como agente anti-inflamatório. Existem diversas indicações de uso dessa substância: após cirurgia periodontal e peri-implantar, para pacientes com limitação motora e pacientes com idade avançada. O uso da clorexidina por médio e longo prazo pode provocar alguns efeitos colaterais, sendo a alteração de paladar o mais frequente. Tendo em vista a necessidade de minimizar os efeitos colaterais dessa substância, tem sido propostas concentrações menores, como a concentração de 0,12%. Este artigo consiste em uma revisão sistemática, que tem como princípio reunir, de forma organizada, resultados de pesquisas clínicas e auxiliar na explicação de diferenças encontradas entre estudos primários que investigam a mesma questão. Esse tipo de estudo facilita a elaboração de diretrizes clínicas, sendo extremamente útil para tomadas de decisão na área de saúde. Desta forma, esta revisão teve como objetivo comparar a eficácia das concentrações de 0,12% e 0,2% no controle de placa e na melhora nos parâmetros clínicos periodontais (gengivite e periodontite).

Desenho experimental: foram realizadas buscas manuais e eletrônicas até fevereiro de 2010. Para inclusão no estudo, os artigos deveriam ser ensaios clínicos controlados, conduzidos em humanos com idade maior ou igual a 18 anos e com boa saúde sistêmica. Deveriam ainda comparar a clorexidina a 0,12% com a concentração de 0,2%. Foram considerados os seguintes parâmetros: índice de placa, índice gengival, níveis de gengivite, profundidade de sondagem e nível de inserção clínica.

Os achados: considerando-se os critérios de inclusão, foram selecionados oito artigos. Desses oito, foi possível submeter sete à meta-análise. Comparando-se as concentrações de 0,12% e 0,2% de clorexidina, as informações relativas à inflamação gengival foram esparsas e não foi encontrado nenhum estudo que comparasse as duas concentrações e avaliassema profundidade de sondagem ou o nível de inserção clínica. Em relação à inibição da placa, os resultados mostraram uma pequena, mas significante diferença em favor da concentração de 0,2%. No entanto, a relevância clínica dessa diferença é provavelmente irrelevante.

Comentários: a clorexidina é um agente antiplaca com efeito consolidado e em uso há mais de 40 anos. Esta revisão sistemática confi rma, mais uma vez, a segurança em seu uso em uma concentração menor, que leva a menores efeitos colaterais e que, ainda assim, mantém seu efeito antiplaca.

Unitermos: Chlorhexidine; Concentration; Gingivitis; Mouthrinse; Mouthwash; Plaque; Systematic review.

Revisado por: Mônica Grazieli Corrêa. Doutoranda em Periodontia - FOP-Unicamp.



E-mail
Cadastre seu e-mail e receba nossas Newsletters