INPN - O portal das revistas ImplatNews e PerioNews
 
Compartilhe  Compartilhe Twitter Imprimir Indique a um amigo
Publicado em: 07/11/2013 14h57

Debridamento com e sem penetraçao intra-medular para defeito intra-ósseo

Análise crítica do artigo originalmente publicado no Journal of Periodontology.

Crea A, Deli G, Littarru C, Lajolo C, Vittorini Orgeas G, Tatakis D. Open flap debridement with and without intramarrow penetration for intrabony defect therapy: a randomized clinical trial. J Periodontol 2013 Mar 28. [Epub ahead of print].

Por que é interessante: a penetração intramedular é frequentemente incorporada aos procedimentos cirúrgicos periodontais regenerativos. Entretanto, os benefícios atuais da adição desse procedimento aos procedimentos regenerativos ainda permanecem desconhecidos. A proposta deste estudo clínico controlado randomizado foi investigar a contribuição da penetração intramedular nos resultados do debridamento a retalho para o tratamento de defeitos infraósseos.

Desenho experimental: quarenta e dois pacientes diagnosticados com periodontite crônica, apresentando um defeito infraósseo de duas paredes, três paredes ou um defeito infraósseo de duas e três paredes combinado, foram incluídos no estudo. Os sítios foram randomicamente atribuídos a um dos dois grupos: apenas debridamento a retalho (controle) ou debridamento a retalho e penetração intramedular (teste). Retalhos com preservação de papila foram realizados e os defeitos foram completamente debridados. No grupo controle, um completo fechamento primário do retalho foi garantido após o debridamento. No grupo teste, a penetração intramedular foi feita antes do fechamento do retalho com o auxílio de uma broca para penetrar a parede cortical do defeito. Parâmetros clínicos e radiográficos foram avaliados no baseline e 12 meses após o procedimento cirúrgico.

Os achados: no baseline, não houve diferença estatística entre os grupos. Aos 12 meses, ambos os grupos mostraram melhoras em termos de redução da profundidade de sondagem, ganho no nível de inserção clínica e nível ósseo (clínico e radiográfico). O grupo teste apresentou maior ganho clínico ósseo e maior prevalência de ganho de inserção clínica 2 mm (93% dos sítios), comparado com o grupo controle. Os benefícios do tratamento apresentados pelo grupo teste foram particularmente evidentes nos sítios mandibulares, onde a associação do debridamento a retalho com a penetração intramedular mostrou um ganho ósseo radiográfi co duas vezes maior do que o obtido pelo grupo controle.

Comentários: os defeitos infraósseos associados às bolsas periodontais representam a sequela anatômica da propagação do biofilme na progressão da periodontite. Tais defeitos são fatores de risco para maiores perdas de inserção, se não tratados. Os resultados apresentados nesse estudo sugerem que a adição da penetração intramedular ao procedimento de debridamento a retalho, usado para tratar defeitos infraósseos, resulta em melhoras clínicas significativas, principalmente em termos de preenchimento ósseo vertical, em pacientes sob manutenção periodontal. Uma vez que a penetração intramedular é de fácil implementação e apresenta menor tempo clínico, custo e risco ao procedimento cirúrgico, não deve haver barreiras à incorporação desse procedimento na rotina clínica do tratamento cirúrgico de defeitos infraósseos.

Unitermos: Alveolar bone loss; Periodontitis; Periodontal attachment loss; Bone regeneration.

Revisado por: Viviene Santana Barbosa. Doutoranda em Periodontia - FOP-Unicamp.



E-mail
Cadastre seu e-mail e receba nossas Newsletters