INPN - O portal das revistas ImplatNews e PerioNews
 
Compartilhe  Compartilhe Twitter Imprimir Indique a um amigo
Publicado em: 13/02/2014 08h40

A Fibrina Rica em Plaquetas em foco

Roberto Puertas Garcia e Samy Tunchel falam sobre a utilização da Fibrina Rica em Plaquetas.
A partir desta edição, a revista ImplantNews dá início à coluna “Um Tema, Duas Visões”, buscando debater e trazer informações de importantes temas da Implantodontia atual sob a ótica dois renomados especialistas no assunto. Para começar, um assunto bastante em voga no momento: a Fibrina Rica em Plaquetas.

  

Roberto Puertas Garcia – Especialista em Implantodontia; Professor assistente dos Cursos de Implantodontia – ABO/SP – FMU – UMC.



O uso de decantados de plasma sanguíneo para a otimização de cirurgias reconstrutivas na Odontologia teve seu apogeu com os trabalhos de Marx e Anitua, entre 1998 e 2001. Estes autores buscavam a utilização dos fatores de crescimento através do Plasma Rico em Plaquetas (PRP), liberados no sítio cirúrgico. Este método utilizava tubos de coleta de sangue com citrato de sódio como anticoagulante, que era revertido quando da utilização do plasma com cloreto de cálcio e trombina humana ou animal para o rompimento das plaquetas e liberação dos fatores de crescimento, transformando o PRP em forma de gel. Em 2006, Choukroun, Dohan e cols publicaram uma série de artigos intitulados “A segunda geração dos concentrados plaquetários”, nos quais foi relatado um protocolo rígido de obtenção de fatores de crescimento em uma membrana de fibrina chamada de L-PRF ou Fibrina Rica em Plaquetas e Leucócitos.

Após análises clínicas, cicatriciais, histológicas, sorológicas, entre outras, foram encontradas as seguintes características: obtenção de sangue em tubos sem substâncias químicas (citrato e trombina), membrana de fibrina altamente densa, flexível, suturável e estável em até 14 dias, segregação e liberação de altas quantidades de plaquetas e fatores de crescimento plaquetários de maneira lenta e continua por sete dias, grande potencial imunológico, potente estimulador de angiogênese, sinalizador e quimiotático para células-tronco e demais células que participam do processo de reparação, e fornecimento de um soro rico em citocinas adesivas.

Estas propriedades conferem a otimização do reparo com intensa e rápida cicatrização e fechamento de tecidos moles, neovascularização efetiva, inclusive em pele, controle infeccioso, melhora clínica do tecido gengival, obtenção de tecido ósseo mais rápido, proteção de membranas de regeneração óssea guiada e enxertos, se permite ficar exposta ao meio bucal, auxilia efetivamente na proteção e no fechamento da membrana sinusal em cirurgias de preenchimento do seio maxilar e têm mostrado excelente performance clínica no preenchimento de alvéolos frescos, com ou sem implante.



  

Samy Tunchel – Cirurgião-dentista; Especialista em Periodontia; Mestre em Implantodontia.



No final do século passado, os trabalhos de Marx1 colocaram em evidência a possibilidade de obter citocinas ou fatores de crescimento concentrando o sangue autólogo através da centrifugação. É o surgimento do PRP ou Plasma Rico em Plaquetas.

O ponto principal são os fatores de crescimento liberados pelas plaquetas sanguíneas ou trombócitos. Os concentrados plaquetários são utilizados de forma rotineira há vários anos em diversas especialidades da Medicina. A finalidade é recuperar as citocinas ou fatores de crescimento existentes nas plaquetas ou trombócitos após a centrifugação total do sangue. Muitos protocolos foram propostos de acordo com o tipo de centrifugação e o tipo de tubos utilizados: PRP, PRGF e PRF. A técnica do PRF levou vários anos para entrar em uso, e atualmente é considerada a mais simples, menos onerosa e mais eficaz.

Os resultados clínicos do PRF estão ligados não só à liberação prolongada de fatores de crescimento, mas também à presença de fibrina polimerizada obtida ao final da centrifugação.

Em 2001, a técnica do PRF ou Fibrina Rica em Plaquetas foi descrita2, diferenciando-se pela possibilidade de concentrar as plaquetas em um coágulo de fibrina, através da supressão de anticoagulantes. A centrifugação sem anticoagulantes permite obter um coágulo de fibrina que concentra as plaquetas e, consequentemente, seus fatores de crescimento que são, entre outros, o PDGF, os TGF Beta e
o VEGF. A fibrina apresenta uma dupla função: reservatório de citocinas e matriz de cicatrização celular.

Esse reservatório constituído pela fibrina (fibrinogênio coagulado) vai permitir uma liberação prolongada de fatores de crescimento, descrita em diversos artigos científicos3. A liberação prolongada de fatores de crescimento permite obter um efeito mais potente à medida que as citocinas liberadas lentamente estimulam de forma mais intensa as células circunvizinhas, à semelhança de uma perfusão contínua.

Essa é uma das propriedades mais interessantes do PRF. Além disso, o PRF possui também a fibrina que funciona como matriz celular, ou seja, um composto que se enche de células e permite o surgimento de um novo tecido, uma vez que a fibrina não reabsorve, ela se transforma. Dessa forma, numerosas indicações foram descritas, como a utilização nos enxertos ósseos, levantamento de seio maxilar, preenchimento de alvéolos e estímulo para a cicatrização gengival 4-6.

Atualmente, mais de 180 artigos internacionais sobre PRF foram publicados, dos quais 52 apenas no ano de 2013. Esta técnica fascinante está em crescente uso na Odontologia e merece cuidadoso interesse de todos os envolvidos nas diferentes aplicações cirúrgicas.

Referências
1. Marx RE, Carlson ER, Eichstaedt RM, Schimmele SR, Strauss JE, Georgeff KR. Platelet-rich plasma: Growth factor enhancement for bone grafts. Oral Surg Oral Med Oral Pathol Oral Radiol Endod 1998;85(6):638-46.
2. Choukroun J, Adda F, Schoeffl er C, Vervelle A. Une opportunité en paro-implantologie: le PRF Implantologie 2001/Implantodontie 2001;42:55-62.
3. Dohan Ehrenfest DM, de Peppo GM, Doglioli P, Sammartino G. Slow release of growth factors and thrombospondin-1 in Choukroun’s platelet-rich fi brin (PRF): a gold standard to achieve for all surgical platelet concentrates technologies. Growth
Factors 2009;27(1):63-9.
4. Simonpieri A, Del Corso M, Vervelle A, Jimbo R, Inchingolo F, Sammartino G, Dohan Ehrenfest DM. Current knowledge and perspectives for the use of platelet-rich plasma (PRP) and platelet-rich fi brin (PRF) in oral and maxillofacial surgery part 2: Bone graft, implant and reconstructive surgery. Curr Pharm Biotechnol 2012;13(7):1231-56.
5. Mazor Z, Horowitz RA, Del Corso M, Prasad HS, Rohrer MD, Dohan Ehrenfest DM. Sinus fl oor augmentation with simultaneous implant placement using Choukroun’s platelet-rich fi brin as the sole grafting material: a radiologic and histologic study at 6 months. J Periodontol 2009;80(12):2056-64.
6. Pradeep AR, Bajaj P, Rao NS, Agarwal E, Naik SB. Platelet-Rich Fibrin Combined With a Porous Hydroxyapatite Graft for the Treatment of Three-Wall Intrabony Defects in Chronic Periodontitis: A Randomized Controlled Clinical Trial. J Periodontol 2012.


E-mail
Cadastre seu e-mail e receba nossas Newsletters