INPN - O portal das revistas ImplatNews e PerioNews
 
Compartilhe  Compartilhe Twitter Imprimir Indique a um amigo
Publicado em: 11/7/2014 22h7

Caso clínico complexo de reabilitação anterior superior com implantes e coroas de porcelana

Membro do Grupo Perio-Implantar detalha todo o tratamento, das dificuldades aos próximos passos.

Casos Clínicos

Este caso clínico foi apresentado originalmente no dia 4 de novembro de 2014 por João Mateus Biasi‎‎, no Grupo Perio-Implantar, para discussão com outros profissionais, e foi selecionado por Lilian Smeke, moderadora do grupo, com exclusividade para o INPN.

Em atividade desde agosto de 2012, o Grupo Perio-Implantar no Facebook congrega mais de 16 mil profissionais da área, com o objetivo de promover debates dos principais temas que envolvem a pesquisa científica e a prática clínica da Implantodontia e da Periodontia.

Reabilitação anterior superior com implantes e coroas e.max.

 

 

João Mateus Biasi

Boa noite, meus queridos! Mais um caso tortuoso (e que ainda não está finalizado!).
Paciente me procurou insatisfeita com diversas próteses metalocerâmicas mal adaptadas. Logo no início do tratamento, ela acabou fraturando a raiz do 21, fiz a extração seguida de preenchimento do alvéolo com Bio-Oss, e a paciente ficou com uma provisória (que ela quebrou e colou com Super Bonder diversas vezes). Após o período de espera de oito meses, no dia da prova do guia cirúrgico, a paciente chega com o 11 também fraturado (ambas as fraturas radiculares ocorreram devido à existência de núcleos metálicos intrarradiculares bastante curtos e canais superinstrumentados). Como já tinha pedido alguns implantes para instalar no 21, e já tinha um guia cirúrgico para a região, optei pela extração com instalação imediata do 11, seguida de preenchimento do gap implante/alvéolo com Bio-Oss e ROG vestibular com Bio-Oss e Bio-Gide. Como a paciente queria trocar as próteses do 12 e 22, usei estes dois dentes como apoio de um provisório do 12 ao 22 em resina bisacrílica (Voco) com reforço metálico.
Se observarem na foto onde ela só tinha perdido o 21 ainda, os dois centrais tem a zona do zênite mais baixa que os incisivos laterais e caninos.
A paciente foi devidamente avisada da possível ausência de papila gengival entre os dois centrais. Mas como a linha de sorriso não expõe demais a região, tudo ficou mais tranquilo.
Seguindo a avaliação do ITI, o caso foi avaliado como complexo. Após oito meses de aguardo dos implantes Neodent Titamax EX e do enxerto osseointegrar foi realizada a abertura do 11 e 21, preparo do 12 e 22 (o núcleo do 12 foi substituído por um núcleo de fibra de carbono cimentado com Variolink II), a paciente ficou com provisórios no 11 e 21 durante três meses para devido condicionamento gengival. 
Nos elementos 12 e 22 foram feitas duas coroas em e.max, no implante 11 e 21, infraestrutura em zircônia seguidas de aplicação de e.max.
Essa semana, acabei extraindo o 25 com mobilidade grau III, aproveitei para extrair um resto radicular do 24 e segui com preservação de alvéolo novamente com Bio-Oss e ROG da vestibular do 24 com Bio-Oss também.
Próteses realizadas no Laboratório Calgaro.
Ainda falta mexer no 13, 15, 16, 23, prótese sobre implante do 14, implante + prótese no 24 e 25. Mas, é isso que a gente gosta! Espero que apreciem o trabalho! Boa noite!

 

 

 

Para acessar o conteúdo completo do fórum no Facebook,
Acesse: http://www.inpn.com.br/Link-1470358

Participe das discussões do Grupo Perio-Implantar no Facebook.
Acesse: www.perio-implantar.com.br.



E-mail
Cadastre seu e-mail e receba nossas Newsletters