INPN - O portal das revistas ImplatNews e PerioNews
 
Compartilhe   Compartilhe Twitter Imprimir Indique a um amigo
Publicado em: 08/09/2014 10h49

Usando fatores de crescimento na reconstrução óssea

Sérgio J. Jayme ressalta a importância da proteína morfogenética e apresenta caso clínico.

Tudo na Implantodontia evoluiu de uma forma impressionante nos últimos 20 anos, podemos citar como exemplo o desenho, tratamento de superfície dos implantes e também os biomateriais, sendo reabsorvíveis ou não.

A proteína morfogenética foi uma das maiores evoluções para formação óssea dentro da Implantodontia, não tendo a necessidade de remover osso autógeno do paciente, assim tem-se uma só região operada gerando muito mais conforto para o paciente.

Relato de caso clínico

Paciente do sexo masculino, 64 anos, apresentou-se na clínica do IAP – Instituto Sérgio Jayme, no curso de cirurgia avançada. Sua queixa principal era falta de estabilidade de sua prótese total superior e relatou que perdeu os dentes com menos de 30 anos. Ou seja, este paciente usa prótese total há mais de trinta anos.

Após avaliação clínica, acompanhada de exames de sangue complementares, foi pedida uma radiografia panorâmica e tomografia computadorizada do maxilar superior. Foi diagnosticada uma grande atrofia da maxila, evidenciando uma reabsorção óssea acentuada em altura e espessura.

Depois de conversar e analisar as opções de tratamento, optou-se pelo uso do rhBMP-2 (Infuse Bone Graft, 5,6 cc, Medtronic Sofamor Danek USA, Inc), associado ao beta-tricálcio fosfato (Bone Ceramic, partículas 500- 1.000 micrometros, Straumann, Basel, Suíça) e telas de titânio (Titanium Augmentation Micro Mesh - 120 x 60mm e parafusos,Ace Surgical Supply Co.,Inc).

Figura 1 – Tomografia computadorizada.

 

Figura 2 – Prototipagem.

 

Figura 3 – Rebordo atrofiado e desenho da incisão.

 

Figura 4 – Observar a maxila muito reabsorvida.

 

Figura 5 – Perfuração do osso remanescente para aumento da vascularização.

 

Figura 6 – Fixação da tela de titânio e aplicação do rhBMP2 + HA.

 

Figura 7 – Fixação das telas por vestibular, determinando o volume do ganho ósseo.

 

Figura 8 – Sutura.

 

Figura 9 – Seis meses depois, notar o aumento de volume do rebordo.

 

Figura 10 – Seis meses depois, notar o volume do tecido ósseo.

 

Figura 11 – Instalação de seis implantes bem posicionados para suportar uma prótese tipo protocolo.

 

Figura 12 – Prótese instalada com estética e função satisfatória.

 

Figura 13 – Raio X final.

 

Referências

  1. Esposito M, Grusovin MG, Felice P, Karatzopoulos G, Worthington HV, Coulthard P. The efficacy of horizontal and vertical bone augmentation procedures for dental implants - a Cochrane systematic review. Eur J Oral Implantol 2009;2(3):167-84.
  2. Louis PJ. Vertical ridge augmentation using titanium mesh. Oral Maxillofac Surg Clin North Am 2010;22(3):353-68.
  3. Jung RE, Weber FE, Thoma DS, Ehrbar M, Cochran DL, Hammerle CH. Bone morphogenetic protein-2 enhances bone formation when delivered by a synthetic matrix containing hydroxyapatite/tricalcium phosphate. Clin Oral Implants Res 2008;19:188-95.
  4. Cochran DL, Jones AA, Lilly LC, Fiorellini JP, Howell H. Evaluation of recombinant human bone morphogenetic protein-2 in oral applications including the use of endosseous implants: 3-year results of a pilot study in humans J Periodontol 2000;71(8):1241-57.
  5. Boyne PJ, Lilly LC, Marx RE, Moy PK, Nevins M, Spagnoli DB et at. De novo bone induction by recombinant human bone morphogenetic protein-2 (rhBMP-2) in maxillary sinus floor augmentation. J Oral Maxillofac Surg 2005;63(12):1693-707.
  6. Herford AS, Boyne PJ. Reconstruction of mandibular continuity defects with bone morpho- genetic protein-2 (rhBMP-2). J Oral Maxillofac Surg 2008;66(4):616-24.
  7. Spagnoli DB, Marx RE. Dental Implants and the use of rhBMP-2. Oral and maxillofac surg. Clin North Am 2011;23(2):347-61.
  8. Gutwald R, Haberstroh J, Stricker A, Rüther E, Otto F, Xavier SP et al. Influence of rhBMP-2 on bone formation and osseointegration in different implant systems after sinus-floor elevation. An in vivo study on sheep. J Craniomaxillofac Surg 2010;38(8):571-9.

 

Sérgio J. Jayme

Doutor em Reabilitação Oral – USP; Mestre e Especialista em Implantodontia Oral; Especialista em Prótese Dentária; Pós-graduado em Periodontia; Presidente da Academia Brasileira de Osseointegração; Coordenador do Curso de Especialização em Implantodontia- APCD Vila Mariana; Membro da Academy of Osseointegration – A O – Implanty Dentistry; Autor de vários capítulos de livros e artigos em periódicos nacionais e internacionais.

 



E-mail
Cadastre seu e-mail e receba nossas Newsletters