INPN - O portal das revistas ImplatNews e PerioNews
 
Compartilhe  Compartilhe Twitter Imprimir Indique a um amigo
Publicado em: 5/6/2015 41h4

Número de fumantes cai 20,5% no Brasil

Percentual de fumantes alcançou o menor índice já registrado. Pesquisa também revela que houve redução do número de fumantes passivos.

Os brasileiros estão abandonando o hábito de fumar. A pesquisa inédita feita pelo Ministério da Saúde e pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) revela que o índice de pessoas que consomem cigarros e outros produtos derivados do tabaco é 20,5% menor que o registrado cinco anos atrás. Do total de adultos entrevistados, 14,7% disseram que fumam atualmente, contra 18,5% em 2008, conforme a Pesquisa Especial de Tabagismo do IBGE (PETab).

Os homens são os que mais usam produtos do tabaco, chegando a 19,2% ante 11,2% das mulheres. A faixa etária com maior prevalência é de 40 a 59 anos (19,4%), enquanto os jovens de 18 a 24 anos apresentaram a menor taxa (10,7%).

Fumar com regularidade é mais frequente entre pessoas com menor escolaridade. Quando o nível fundamental é incompleto, o índice alcança 20,2%, contrapondo os 8,8% de quem apresenta ensino superior completo. Os três estados do Sul lideram o ranking de usuários de tabaco e derivados: Paraná registra 18,1%, Santa Catarina 16% e Rio Grande do Sul 14,2%.

Outra boa notícia: a vontade de parar de fumar atinge ainda mais pessoas. Do total de entrevistados que fumam ou já fumaram, 51,1% disseram ter tentado largar o hábito nos últimos 12 meses. Nesse caso, as mulheres sobressaem, atingindo 55,9%, contra 47,9% dos homens.

Também foi analisado o índice de pessoas que não fumam, mas estão expostas à fumaça dentro de casa: 10,7% da população. Neste caso, os jovens de 18 a 24 anos são a maioria. No trabalho, o percentual de pessoas que estão sujeitas ao fumo passivo é ainda maior: 13,5%.

Foram entrevistados 63 mil homens e mulheres a partir de 18 anos. Além do hábito de fumar, o estudo, tido como o maior e mais detalhado já realizado, apurou outros fatores da situação de saúde do brasileiro e do estilo de vida. Pela primeira vez, foi coletado sangue e aferida a pressão e o peso.



E-mail
Cadastre seu e-mail e receba nossas Newsletters