INPN - O portal das revistas ImplatNews e PerioNews
 
Compartilhe  Compartilhe Twitter Imprimir Indique a um amigo
Publicado em: 23/12/2013 16h12

Quem é o seu consultor?

Paulo Rossetti fala sobre o relacionamento com os consultores de venda.
Na vida, todos nós temos preferências: a cor da camisa, o programa de televisão, o dia de passar na banca de revistas, o dia de tomar um sorvete no shopping. Enfim, dizem que preferência não se discute.  Mas o que faz as pessoas terem preferência?

Esta introdução agora nos conecta a outro assunto: os consultores de vendas e o relacionamento que nós construímos com eles. Trabalhar com um produto que não possui gosto, cheiro ou sabor demanda grande capacidade mental e criatividade de qualquer ser humano.

O consultor de vendas é um atleta nato: cobrindo diversas regiões toda semana, ele deve desviar-se dos malucos no trânsito, atender ao telefone, e ainda por cima, manter o sorriso e o terno sempre alinhados.

Mas esta é a primeira parte da missão. Na segunda, existe a empatia: a capacidade de compreender a outra pessoa (neste caso, os cirurgiões-dentistas).

Certamente, todos nós temos diversos amigos que são consultores e, favas cantadas, os que entram e os que não entram nos nossos consultórios. Com certeza, Freud faria melhor, mas é possível apontar os perfis e as consequências:
 
Amigão: já sentiu aquele “tapinha-tonelada” nos ombros ou na barriga? Este perfil consegue beber até metade da sua garrafa de café em menos de cinco minutos. Sua sala de espera vira um caos e seus clientes contam os minutos para que esta persona non grata deixe o consultório;
 
Informante: da cor do chaveiro do seu carro até a cotação do franco suíço: ele sabe tudo, menos o que existe no catálogo, e seria fundamental para suprir sua necessidade cirúrgica ou protética;
 
Astronauta: marcado pela tradicional frase: Doutor, o que foi mesmo que o senhor pediu há uma semana? Eu deixei na loja ou coloquei no correio?
 
Empurra: o rótulo já diz tudo.
 
Injusto dizer que não existe o outro lado da moeda: os que se destacam possuem treinamento adequado ou buscam entender como usar melhor a empatia em seu benefício. São o que deveriam ser: grandes facilitadores.
 
Eu desejo um excelente trabalho a todos os consultores, porque a contagem regressiva para os 50 anos de Osseointegração já começou...
 
Muito obrigado e boas festas aos que nos acompanharam neste ano de 2013!

Um forte abraço!

Paulo Rossetti é editor-científico da revista ImplantNews. Cirurgião-dentista, mestre e doutor em Reabilitação Oral - FOB/USP.



E-mail
Cadastre seu e-mail e receba nossas Newsletters