INPN - O portal das revistas ImplatNews e PerioNews
 
Compartilhe  Compartilhe Twitter Imprimir Indique a um amigo
Publicado em: 8/27/2018 41h5

O “três em um” bem temperado da Odontologia

A Ortodontia é uma arma poderosa que pode beneficiar protesistas e implantodontistas.

Pergunte a qualquer estudante ou clínico geral: qual é a especialidade da Odontologia menos invasiva e que mais aproveita os potenciais biológicos dos pacientes? A Ortodontia. É fascinante ver como podemos mudar a posição dos dentes e, por consequência, a oclusão.  Protesistas e implantodontistas se beneficiam muito, porque vamos verticalizar molares ou abrir aquele espaço entre os incisivos laterais e colocar o implante dentário.

Quando a Implantodontia tomou corpo, ainda estávamos na fase dos pequenos movimentos ortodônticos, em uma interação com a Periodontia. Literalmente, a boca parecia uma loja de ferragens: bandas, braquetes, elásticos e molas para todos os lados, onde muitas vezes uma placa de Hawley era utilizada para levantar a mordida. Entretanto, a possibilidade de uma ancoragem rígida mudou o cenário, porque a ancoragem em dentes se submetia muito mais a lei da ação e reação (3ª Lei de Newton). Este implante poderia ser apenas provisório ou mais tarde receber a restauração definitiva.

Neste sentido, o implante dentário também proporcionou casamentos mais duradouros entre Ortodontia e Cirurgia Bucomaxilofacial. Agora, com a possibilidade de colocar um mini- implante em sentido horizontal, mordidas abertas/cruzadas eram resolvidas/aliviadas de forma mais rápida. Isso também mudou a filosofia dos aparelhos expansores, trazendo uma mecânica mais rápida.

Por fim, é desnecessário dizer (basta perguntar aos nossos pacientes) sobre a revolução que os alinhadores estéticos estão fazendo. E, mais uma vez, a Ortodontia se beneficia da tomografia computadorizada feixe cônico (CBCT) para delimitar a melhor posição desses implantes.

Essa história mostra que a pavimentação deste caminho teve sucesso principalmente porque o conceito de simplificação foi utilizado. Mas veja quanto investimento em tecnologia foi necessário para dar o “tempero” correto.

Estamos fazendo os investimentos corretos? Tudo mostra que sim.

Ainda vamos ver a colocação de um implante convencional com uma broca só?

Quem aposta?
 

Assista também:

Ortodontia e Implantodontia: como fazer?

Como preparar a gengiva para a Ortodontia?

 

Paulo Rossetti

Editor científico de Implantodontia da ImplantNewsPerio

 


E-mail
Cadastre seu e-mail e receba nossas Newsletters