INPN - O portal das revistas ImplatNews e PerioNews
 
Compartilhe  Compartilhe Twitter Imprimir Indique a um amigo
Publicado em: 5/30/2012 30h9

Antibióticos: quando e por que usar?


Por Antônio W. Sallum

 

É de conhecimento comum que os antibióticos podem exercer a sua ação através de efeito "bacteriostático" ou "bactericida". Esse valioso recurso deve ser utilizado com critério no tratamento das doenças periodontais. Fica sempre a discussão de quando usar. Esta decisão exige conhecimento da etiopatogenia/tipo da doença periodontal, sua severidade e velocidade de destruição, bem como o perfil de resposta sistêmica do paciente.

Uma avaliação mais cuidadosa da composição da microbiota subgengival seria útil para a indicação do tipo de antibiótico, sempre considerando sua interação com o hospedeiro. Situações clínicas, como periodontites agressivas, lesões agudas com envolvimento sistêmico, pacientes que não respondem ao tratamento convencional ou que apresentam necessidade de profilaxia para endocardite, podem envolver o uso de antibióticos.

Porém, a utilização de antibióticos em situações onde a terapia mecânica pode ser suficiente para controlar a doença periodontal não é justificável. Podemos admitir que a doença periodontal crônica responde, na maioria dos casos, bem ao tratamento convencional. Ou seja, sabemos como tratá-la. Temos o desejo de obter a mesma qualidade e força de estudos longitudinais, também para a doença peri-implantar, bem como definir o papel dos antibióticos nestes casos.

Finalmente, vamos ressaltar o papel importante do controle do biofilme supragengival na manutenção da saúde periodontal. Aliado ao tratamento periodontal de suporte, nos possibilita obter desfechos clínicos favoráveis para os nossos pacientes em longo prazo.



E-mail
Cadastre seu e-mail e receba nossas Newsletters