INPN - O portal das revistas ImplatNews e PerioNews
 
Compartilhe  Compartilhe Twitter Imprimir Indique a um amigo
Publicado em: 9/5/2012 54h1

Regeneração do tecido periodontal - enxertos e substituições ósseas

Análise crítica do artigo originalmente publicado na Dental Clinics of North America.

A cada edição da revista PerioNews, a equipe do Prof. Antonio Wilson Sallum promove a análise crítica de alguns dos artigos científicos de maior destaque publicados em periódicos de circulação internacional. Eles é um deles. Confira!

Reynolds MA, Aichelmann-Reidy ME, Branch-Mays G. Regeneration of periodontal tissue - bone replacements grafts. Dent Clin N Am 2010;54:55-71.

Por que é interessante: abordagens cirúrgicas periodontais, tais como o debridamento a retalho, fornecem acesso para avaliar e descontaminar as superfícies radiculares, bem como estabelecer
melhorias à forma e arquitetura periodontal. Entretanto, essas técnicas cirúrgicas oferecem um potencial limitado na restauração ou reconstrução dos componentes periodontais. Dessa forma, uma série de materiais de enxertia óssea tem sido aplicado e avaliado clinicamente, incluindo autoenxertos, aloenxertos, xenoenxertos e enxertos aloplásticos (materiais sintéticos/semissintéticos).

Desenho experimental: através de uma revisão da literatura, os autores forneceram uma visão global das funções biológicas e da aplicação clínica dos enxertos ósseos para regeneração periodontal. Ênfases foram dadas nos objetivos clínicos e biológicos da regeneração, bem como nos resultados do tratamento baseado em evidências.

Os achados: baseado na avaliação dos vários estudos realizados na literatura, os autores observaram que os trabalhos mostram fortes evidências de que a colocação de enxertos ósseos melhora os parâmetros clínicos, incluindo profundidade de sondagem, nível de inserção clínica e preenchimento do defeito, quando comparado com debridamento a retalho aberto sozinho. As estimativas baseadas na literatura, de preenchimento ósseo, variam de 2,3 mm a 3,0 mm ou 60% dos defeitos após enxertia em defeitos intraósseos. Os materiais de enxertos ósseos particulados também parecem reduzir perdas da crista óssea. Quando esses enxertos são combinados com barreiras, uma simples, mas não significante, melhora nos níveis ósseos é obtida, com significante ganho no nível de inserção e redução na profundidade de sondagem quando comparado com o enxerto somente.

Comentários: estudos clínicos controlados fornecem fortes evidências para a efetividade dos enxertos ósseos no tratamento dos defeitos periodontais. O potencial para enxertos ósseos selecionados, tais como a matriz óssea desmineralizada, para regeneração periodontal verdadeira, incluindo novo osso, cemento e ligamento periodontal, tem sido bem estabelecido através de análises histológicas em humanos. Os materiais de enxertia óssea mais atuais são osseocondutores e funcionam como matrizes passivas no crescimento do tecido osseoprogenitor. Materiais de enxertia compostos, incorporando componentes biomiméticos e biológicos, têm mostrado grande potencial para aumentar os resultados regenerativos. Materiais para enxertos ósseos futuros provavelmente construirão uma plataforma inovadora com propriedades biofísicas controladas que permitem liberação de drogas, produtos biológicos e células, melhorando o grau de previsibilidade da regeneração periodontal.

Unitermos: Bone grafts; Periodontal; Intrabony; Scaffold; Regeneration; Bone substitutes.

Revisado por: Viviene Santana Barbosa. Mestranda em Periodontia - FOP-Unicamp.



E-mail
Cadastre seu e-mail e receba nossas Newsletters