INPN - O portal das revistas ImplatNews e PerioNews
 
Compartilhe  Compartilhe Twitter Imprimir Indique a um amigo
Publicado em: 09/10/2013 17h56

Semana dos Prêmios Nobéis: e eu com isso?

Paulo Rossetti fala sobre o Prêmio Nobel e sua importância no meio acadêmico.

Estamos nas semanas de divulgação dos prêmios Nobéis. Ontem saiu o de Física, e todo mundo esperava que a tal "Partícula de Deus" fosse a "bola da vez". Mas, você, cirurgião-dentista, deve estar se perguntando: ora bolas, e eu nesta parada?

Bom, a Física entrou na Odontologia desde a descoberta dos raios X. Mas, no dia 8 de dezembro de 1979, no Instituto Karolinska (Suécia), Godfrey Hounsfield fez sua palestra de quase uma hora mostrando os benefícios de uma tal "tomografia computadorizada". Você pode acessar e admirar a simplicidade do raciocínio na página oficial do Prêmio Nobel. É claro, seu parceiro na descoberta foi um cara chamado Allan Cormack.

E agora, já matou a charada? Pois é. Foi a partir desta descoberta que hoje temos a nossa Tomografia Computadorizada Feixe Cônico (cone beam), uma ferramenta sensacional para visualização tridimensional e planejamento em diversas áreas da Odontologia, especialmente na Cirurgia e na Implantodontia. Muitos acidentes de percurso são evitados, a curva de aprendizado é melhor, e nossos pacientes agradecem.

Curiosidade: o Brasil já teve prêmio Nobel? Verdade! Pelo menos, um dos vencedores nasceu na cidade de Petrópolis, Rio de Janeiro, em 1915. Peter Medawar foi premiado no ano de 1960, pelos seus trabalhos em Imunologia.

O que é interessante no Prêmio Nobel? O cheque "gordo" (quase 1,25 milhões de dólares) que se recebe ou a importância da descoberta? Talvez melhor mesmo seja a estratégia dos jurados. Para ser merecedor, é preciso que a sua terapia seja cientificamente provada e consolidada ao longo dos anos, ou seja, tem que funcionar na minha mão, na sua e na do vizinho também, além de mostrar os mesmos resultados em escala mundial.

Existem diversas propostas de tratamento no mercado, e o alarde que se faz em torno da maioria chega a ser "hollywoodiano". Todas as terapias parecem dar certo? Se você pudesse escolher, quais realmente seriam fortes candidatas ao Nobel?

Como bem lembrou nosso colega do grupo Perio-Implantar, o Eduardo Campos, tem um senhor que usa gravata borboleta e mora em Gotemburgo que...

Boa semana para todos!

 

Paulo Rossetti é editor-científico da revista ImplantNews. Cirurgião-dentista, mestre e doutor em Reabilitação Oral - FOB/USP; Membro ITI (International Team for Oral Implantology).



E-mail
Cadastre seu e-mail e receba nossas Newsletters