INPN - O portal das revistas ImplatNews e PerioNews
 
Compartilhe  Compartilhe Twitter Imprimir Indique a um amigo
Publicado em: 06/01/2017 10h48

A mudança necessária para fazer de 2017 um ano melhor

Marco Bianchini analisa 2016 e traça planos para o ano que se inicia.

2016 foi um ano difícil em todos os aspectos. Avaliando a economia e a política do nosso país, tivemos muitos acontecimentos. Sejam eles bons ou ruins, com efeitos positivos ou negativos, a verdade é que este ano foi bem diferente dos demais, especialmente pelas mudanças políticas e os seus efeitos na economia. Acredito que o mais importante de tudo o que ocorreu em 2016 foi conhecermos mais profundamente o sistema no qual estamos inseridos.

Foi feita uma verdadeira endoscopia nas instituições do País. E ainda não acabou, pois, quanto mais fundo se vai, mais se vê que necessitamos continuar o mergulho. Onde isso vai parar? Não se sabe ainda, mas é um caminho sem volta, não dá mais para retroceder. Vamos ter que continuar a limpeza, mesmo que o resultado final seja uma ausência de limpos.

Na Odontologia não foi diferente. Nossa área de atuação, segundo as regras de economia, está inserida no setor de serviços. Assim, o produto que vendemos é a prestação de serviços odontológicos. Como acontece em qualquer crise, também sofremos os reflexos da retração econômica.

Felizmente, avaliando os resultados dos indicadores econômicos ao longo deste ano de 2016, observamos que o setor de serviços foi afetado com menos intensidade do que as outras áreas. Mesmo assim. não há como negar que algo funcionou de uma maneira diferente este ano. A incerteza pairava no ar e todos nós ficamos com medo de investir mais na profissão. E assim nós continuamos, ainda inseguros, aguardando que a limpeza da corrupção seja plena.

Como fazemos parte do contexto econômico, pois ajudamos a movimentar a economia do País, qual seria a nossa parte para que estas mudanças que estamos tanto querendo que aconteçam na nossa pátria realmente ocorram? A frase pode ser velha e soa com tom de bravata, mas o único caminho é: “fazer a nossa parte”. Não há como criticar a corrupção se nós também fazemos o caixa dois em nossos consultórios. Não há como torpedear o Judiciário por seus recessos exagerados se nós, quando empregados, também não cumprimos nossas horas trabalhadas adequadamente. Não há como querer a limpeza dos outros se nós continuamos sujos.

Passado o Natal, uma data que deixa as pessoas mais emotivas e propensas a realizarem boas obras, nos vemos com uma imensa vontade de nos tornarmos limpos, justos e honestos. Se nos examinarmos profundamente, encontraremos mazelas bem piores do que aquelas que criticamos em outros, seja no sentido econômico ou no pessoal. Desta forma, criamos um desejo enorme de realizarmos mudanças em nossas vidas e nos tornarmos pessoas melhores, fazendo o bem aos outros. E por que não conseguimos? Por que após o Natal tudo volta ao que era antes e as frustrações só aumentam, pois continuamos “sujos”?

O cara que faz aniversário no Natal nos trouxe estas respostas. Para você conhecer estas respostas não há necessidade de religião, nós não precisamos entrar em uma igreja para tentar conhecer esse cara melhor. Quando queremos conhecer alguém, procuramos ir ao seu encontro. Se essa pessoa for alguém que também gosta de conviver com os outros, ela se deixará encontrar. Na verdade, ela irá gostar muito de ser procurada e encontrada, pois assim como nós, Ele também quer ter relacionamentos. Relacionamentos sólidos que não são validados pelo que você é ou tem, mas sim pelo que você anseia ser.

Nós, dentistas, já descobrimos que sozinhos não conseguimos fazer muita coisa certa. É preciso montar uma equipe, mesmo que seja somente você e sua secretária. Sabemos que precisamos de ajuda para crescer. As sociedades, quando bem elaboradas, nos ajudam na luta diária, pois dividimos as contas e a vida fica mais leve. Nesta nossa intensa busca para nos tornarmos melhores, também é necessário dividir as contas existenciais. Na verdade, é preciso entregá-las para este outro cara pagar. Nós nunca conseguiremos pagá-las, são caras demais para nós, não temos este saldo. Ele sabe disso e quer muito nos ajudar, pois na verdade já pagou estas contas há muito tempo!

A limpeza que tanto sonhamos para o nosso país deve começar por nós mesmos. Todos nós sonhamos com isso. Gostaríamos de ser exemplos a serem seguidos, mas não conseguimos. Voltamos a cometer os velhos erros e uma culpa dolorosa recai frequentemente sobre nós. Precisamos de ajuda para nos tornarmos limpos, e esta ajuda vem diretamente daquilo que celebramos em cada Natal. O aniversariante do dia 25 de dezembro tem o sabão para tirar toda a nossa sujeira e nos deixar sem remorsos. Mas, onde eu encontro esse cara? Ora, se realmente é verdade tudo o que falam dele, ele está em todo o lugar, esperando que o encontremos!
 

"O povo que andava em trevas viu uma grande luz, e sobre os que habitavam na região da sombra da morte resplandeceu a luz. Tu multiplicaste a nação, a alegria lhe aumentaste; todos se alegrarão perante ti, como se alegram na colheita, e como exultam quando se repartem os despojos. Porque tu quebraste o jugo da sua carga e a canga do seu ombro, e a vara do seu opressor, como no dia dos midianitas. Porque nasceu para nós um menino, um filho nos foi dado, e o governo está sobre os seus ombros, e se chamará o seu nome: Maravilhoso, Conselheiro, Deus Forte, Pai da Eternidade, Príncipe da Paz." (Isaías 9:2-6)

 

 
   

Marco Bianchini

Professor adjunto IV do departamento de Odontologia (disciplinas de Periodontia e Implantodontia) e coordenador do curso de especialização em Implantodontia - Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC); Autor do livro "O passo a passo cirúrgico em Implantodontia".

Contato: bian07@yahoo.com.br

 



E-mail
Cadastre seu e-mail e receba nossas Newsletters