INPN - O portal das revistas ImplatNews e PerioNews
 
Compartilhe  Compartilhe Twitter Imprimir Indique a um amigo
Publicado em: 5/25/2018 12h21

Relevância clínica da Implantodontia brasileira

Marco Bianchini relata o sucesso de artigo científico publicado em uma importante revista internacional.

Todo clínico, ao ler uma pesquisa ou artigo científico na literatura, faz sempre a mesma pergunta: “o que as conclusões deste artigo irão modificar na minha vida de dentista frente aos meus pacientes no meu consultório?”. Esta pergunta é bastante pertinente, pois a ponta final de uma pesquisa deve ser sempre o paciente. A Ciência busca melhorar a qualidade de vida das pessoas através das suas descobertas. Este caminho se inicia com as pesquisas básicas em laboratórios, e essas descobertas às vezes demoram muito para chegar à boca dos pacientes. Em algumas situações, acabam nem chegando e se perdendo pelo caminho.

Em 2016, nós publicamos um artigo científico na revista europeia Clinical Oral Implants Research (Risk indicators for Perio-implantitis. A cross-selectional study with 916 implants. Autores: Haline Renata Dalago, Guenther Schuldt Filho Mônica Abreu Pessoa Rodrigues, Stefan Renvert e Marco Aurélio Bianchini), que é uma das mais importantes do mundo em Implantodontia. Neste artigo, nós avaliamos 916 implantes de 183 pacientes que usavam próteses sobre implantes osseointegrados, em média, há cinco anos. Este estudo buscou entender quais indicadores de risco realmente influenciavam no aparecimento da peri-implantite e se as características dos implantes utilizados tinham alguma influência nestas alterações. Veja abaixo o resumo do trabalho:


As conclusões, após exames clínicos e radiográficos comparativos (no momento da reabertura dos implantes e no momento da coleta de dados da pesquisa), foram de que nenhuma característica individual dos implantes utilizados teve influência no desenvolvimento da peri-implantite, ratificando a boa qualidade do produto utilizado. Com isso, as taxas de peri-implantite encontradas foram bastante pequenas (cerca de 7% nos implantes e 19% nos pacientes). A taxa de sobrevivência da amostra foi de 98,3%, atestando resultados semelhantes às marcas internacionais.

Os indicadores de risco encontrados nesta pesquisa também foram semelhantes aos encontrados por outros autores, tanto na Europa quanto nos Estados Unidos. Pacientes com periodontite pregressa, facetas de desgastes nas próteses, portadores de próteses tipo protocolo e próteses cimentadas demonstraram um maior risco de desenvolver a peri-implantite. Estes resultados sugeriram que a nossa Implantodontia trabalha de maneira semelhante ao que existe pelo mundo, indicando que estamos no caminho certo.

A publicação deste artigo foi um motivo de muita alegria para todos no Brasil, pois um implante de fabricação nacional atingiu resultados bastante satisfatórios, além de comprovar achados epidemiológicos muito importantes, que ajudam no combate às enfermidades peri-implantares que tanto afligem os pacientes e os profissionais envolvidos na Implantodontia. Tudo isso ainda suportado por um dos autores por nós convidados – o professor Stefan Renvert, da Suécia, uma das maiores autoridades da Periodontia mundial. Por si só, estes tópicos já seriam suficientes para dar este artigo como encerrado, tendo como certo o bom cumprimento do seu papel e chegando à ponta final da pesquisa, que são as bocas de nossos pacientes.

Contudo, na semana passada, fomos surpreendidos positivamente com mais uma boa notícia sobre esta publicação. A Academia Americana de Periodontia considerou este artigo como o mais destacado e excepcional publicado com relevância clínica direta em Periodontia no último biênio. De tal sorte que fomos convidados a receber uma premiação no próximo congresso da Academia Americana de Periodontia, que será realizado na Cidade de Vancouver, no Canadá, em outubro próximo. Sem dúvida alguma, isto é um reconhecimento mundial, não só para nós, pesquisadores, mas também para a Implantodontia brasileira, que se destaca cada vez mais como uma das melhores do mundo. Abaixo, o convite para a premiação
:


São reconhecimentos como este que dão uma injeção de ânimo a todos nós, professores, que de alguma forma estamos envolvidos com pesquisas. O Brasil já vem se destacando mundialmente com autores bastante conhecidos e citados na Implantodontia mundial. Jamil Shibli, Élcio Marcantonio Jr, Paulo Guilherme Coelho, Arthur Belém Novaes Jr, Maurício Araújo, dentre muitos outros, já colocam o nome da nossa Odontologia em altos níveis internacionais. É preciso continuar investindo nas gerações futuras para que valorizem a pesquisa e o desenvolvimento, dando suporte às inovações científicas dentro da Implantodontia.

 

“Não te desamparem a benignidade e a fidelidade; ata-as ao teu pescoço; escreve-as na tábua do teu coração. E acharás graça e bom entendimento aos olhos de Deus e do homem.” (Provérbios 3, 3-4)

 

 

 
   


Marco Bianchini

Professor associado II do departamento de Odontologia da Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC); autor dos livros "O Passo a Passo Cirúrgico na Implantodontia" e "Diagnóstico e Tratamento das Alterações Peri-Implantares".

Contato: bian07@yahoo.com.br

 

 



E-mail
Cadastre seu e-mail e receba nossas Newsletters