PróteseNews 2018 | V5N3 | Páginas: 280-7

Resistência à flexão biaxial e microdureza de cerâmicas de dissilicato de lítio sinterizadas e usinadas

Biaxial flexural strength and microhardness of sintered and hot-pressed lithium disilicate glass-ceramic

Autor(es):

Diogo Cordeiro Braga1
Milton Edson Miranda1
William Cunha Brandt2
Rafael Pino Vitti3

1Depto. de Prótese Dental – Faculdade de Odontologia São Leopoldo Mandic, Campinas.
2Depto. de Implantodontia – Faculdade de Odontologia da Universidade Santo Amaro.
3Depto. de Prótese Dental – Faculdade de Odontologia da Universidade de Taubaté.

Resumo:

O objetivo deste estudo in vitro foi avaliar a resistência à flexão biaxial e microdureza Vickers de cerâmicas à base de dissilicato de lítio prensadas e usinadas. Foram confeccionados 34 discos (12 mm de diâmetro por 0,9 mm de espessura) de cerâmicas à base de dissilicato de lítio, sendo 17 usinadas (IPS e.max CAD, Ivoclar Vivadent) e 17 prensadas (IPS e.max Press, Ivoclar Vivadent). Os corpos-de-prova foram armazenados a 37ºC durante 24 horas. O teste de resistência à fl exão biaxial (n=12) foi realizado em uma máquina de ensaio universal (Oswaldo Filizola BME – São Paulo/SP, Brasil) a uma velocidade de 0,5 mm/min. Os dados de resistência à fl exão foram obtidos em N e a tensão em MPa foi calculada. O teste de microdureza Vickers (n=5) foi realizado em um durômetro (Future-Tech Corp. Model FM-700 – Tóquio, Japão) com cinco indentações por corpo-de-prova (50 g/15 s). Todos os dados foram avaliados quanto à normalidade pelo teste paramétrico de Kolmogorov-Smirnov, sendo posteriormente submetidos à análise de variância (Anova) um fator, e as médias comparadas pelo teste de Tukey (α=0,05). As cerâmicas testadas não apresentaram diferenças estatisticamente signifi cantes nos valores de resistência à fl exão biaxial (p=0,065), entretanto a cerâmica IPS e.max Press apresentou maiores valores de microdureza (p=0,0001). Concluiu-se que a cerâmica à base de dissilicato de lítio prensada apresenta maior valor de dureza, em comparação com a mesma cerâmica usinada.

Unitermos:

Cerâmica; Testes de dureza; Porcelana dentária.

Abstract:

The aim in this in vitro study was to evaluate the biaxial flexural strength and Vickers microhardness of pressable and CAD/CAM lithium-disilicate ceramics. Thirty-four samples of lithium-disilicate ceramics (12 mm diameter x 0.9 mm thick), 17 for CAD/CAM system (IPS e.max CAD, Ivoclar Vivadent) and 17 pressable (IPS e.max Press, Ivoclar Vivadent). The specimens were stored at 37ºC for 24h. The biaxial fl exural strength test (n=12) was performed in a universal testing machine (Oswaldo Filizola BME – São Paulo/SP, Brazil) at a crosshead speed of 0.5 mm/min. The biaxial fl exural strength data were obtained in N and converted to MPa. The Vickers microhardness test (n=5) was performed using a micro-hardness tester (Future-Tech Corp. Model FM-700 – Tokyo, Japan) with 5 indentations per specimen (50 g, 15 s). All data were evaluated using normality test (Kolmogorov- Smirnov) and the mean values were analyzed statistically by one-way Anova and Tukey’s test (α=0.05). The ceramics evaluated did not present statistically signifi cant diff erences in the biaxial fl exural strength values (p=0.065). However, the IPS e.max Press ceramic showed the highest mean values of microhardness (p=0.0001). It is concluded that the forming technique of lithium-disilicate ceramics infl uences the Vickers microhardness values.

Keywords:

Ceramics; Hardness; Dental porcelain.