PróteseNews 2019 | V6N3 | Páginas: 296-304

Controle das condições periodontais em torno de coroas temporárias com o antisséptico Proheal. Teste clínico randomizado

Periodontal conditions around temporary crowns controlled by Proheal antiseptic. A randomized clinical trial

Autor(es):

Alessandra Chueng de Freitas da Silva1

Vívian Espírito Santo Massi Paschoalino2

Bruno Juste Paschoalino3

1Graduada em Odontologia – Centro Universitário Estácio Juiz de Fora.

2Mestra em Clínica Odontológica – UFJF; Coordenadora do curso de especialização em Prótese Dentária – Instituto Saúde Estética Juiz de Fora/Unifacvest.

3Especialista em Periodontia e Implantodontia – ABO Juiz de Fora; Professor do curso de especialização em Implante – Instituto Saúde Estética Juiz de Fora/Unifacvest.

Resumo:

Objetivo: avaliar o comportamento da gengiva marginal em coroas temporárias impregnadas com o antisséptico Proheal. Material e métodos: ensaio clínico controlado randomizado, duplo-cego, com 40 indivíduos que necessitavam de coroas totais em dentes individuais. Cada paciente recebeu uma prótese provisória de resina acrílica, na qual foi realizado o estudo. Os voluntários foram aleatoriamente alocados em dois grupos: o experimental (GE | n=20), no qual foi aplicado o antisséptico Proheal no terço gengival; e o grupo-controle (GC | n=20), no qual não foi utilizado o antisséptico. A gengiva marginal foi avaliada segundo o índice de depósito de biofilme (IDB) e o índice de sangramento sulcular (ISS), no sétimo e 15odia. Resultados: o GC apresentou uma média de IDB de 0,9 no sétimo dia e de 1,1 no 15odia, já o GE apresentou uma média de IDB de 0,05 no sétimo dia e de 0,4 no 15odia. A média do ISS foi de 0,85 no sétimo dia e 0,9 no 15odia para o GC e 0,2 e 0,35 para o GE. No teste estatístico de Mann-Whitney, a uma significância de 5%, verificou-se p=0,006 para sete dias e p=0,002 para 15 dias no ISS; no IDB, foi de p=0,012 no sétimo dia e p=0,001 para 15 dias. Conclusão: o antisséptico avaliado foi eficaz na prevenção de formação de biofilme em torno de coroas temporárias.

Unitermos:

Antissépticos bucais; Coroas temporárias; Dentes provisórios; Prótese provisória.

Abstract:

Purpose: to evaluate the marginal gingival behavior around temporary crown, impregnated or not with the antiseptic Proheal. Material and methods: this study consisted of a randomized, double-blind, controlled clinical trial with 40 subjects that required total crowns on individual teeth. Each patient received a temporary crown, on which the assay was conducted. The volunteers were randomly allocated into two groups: experimental group (EG | n=20), in which the provisional crown was installed with the Proheal antiseptic in the gingival third and the control group (CG | n=20) in which the antiseptic was not used. The marginal gingiva was evaluated by the biofilm deposit index (IDB) and the sulcular bleeding index (ISS), in the seventh and fifteenth days. Results: the CG presented a mean IDB of 0.9 on the seventh day and of 1.1 on the 15thday; the EG presented an average IDB of 0.05 on the seventh day and 0.4 on the 15thday. The CG presented a mean ISS of 0.85 on the seventh day and 0.9 on the 15thday. And the EG presented an average ISS of 0.2 on the seventh day and 0.35 on the 15thday. In the Mann-Whitney statistical test at a significance of 5%, a value of p=0.006 was found for seven days and p=0.002 for 15 days. For the ISS and for the IDB the p value was 0.012 on the seventh day and 0.001 on 15thdays. Conclusion: the antiseptic was effective in preventing the gingival conditions around temporary crown.

Keywords:

Oral antiseptics; Temporary crowns; Temporary prosthesis.