Publicado em: 05/06/2017 às 10h42

A biografia de Krunislave Antonio Nóbilo, um visionário

Nóbilo participou da criação da Faculdade de Odontologia de Piracicaba e foi responsável por importantes passos do planejamento digital na estética do sorriso.

(Ilustração: Lézio Júnior)

 

Reportagem: Renata Putinatti

 

Além de ser reconhecidamente um dos maiores professores de Prótese Dentária do País, Krunislave Antonio Nóbilo também é dono de uma grande humildade e generosidade, particularidades que o tornaram um pesquisador incansável e um “compartilhador” nato de conhecimento.

Ele sempre esteve à frente do seu tempo quanto às ideias e visões relacionadas à Odontologia, criando procedimentos que são utilizados há mais de 40 anos. Hoje, aos 86 anos de idade, desfruta da aposentadoria na companhia de sua esposa Deize, dos filhos Mauro e Míriam, e dos três netos, mas deixa uma herança inestimável para a Prótese Dentária. Momentos antes de se aposentar, ele idealizou técnicas de proporcionalidade áurea para reabilitação dos desdentados totais e parciais que poderão ser utilizadas no futuro, e as quais muitos profissionais da atualidade estão se destacando com estudos muito semelhantes, como o DSD (Digital Smile Design).


Missão cumprida

Antes de ingressar na faculdade de Odontologia, Nóbilo foi auxiliar em um laboratório de prótese dentária. Foi nesse emprego que descobriu a aptidão e o talento para a área e, posteriormente, tornou-se técnico em prótese dentária.

Não demorou muito para que despertasse o desejo de ir mais longe, em busca de novos conhecimentos. Em 1953, entrou para o curso de Odontologia da Pontifícia Universidade Católica de Campinas (PUC/Campinas). E, pouco tempo depois de graduado, em 1957, foi indicado e nomeado pelo então governador do Estado de São Paulo para iniciar como professor na área de Materiais Dentários e colaborar na fundação da Faculdade de Odontologia de Piracicaba, no interior paulista, que ficara sob direção do Dr. Carlos Henrique Robertson Liberari.

Quando já funcionava plenamente e há dez anos, a Faculdade de Odontologia de Piracicaba foi encampada pela recém-criada Universidade Estadual de Campinas (Unicamp). Neste ano de 2017, a FOP comemora 60 anos existência e a Unicamp celebra 50 anos de fundação.

Após dois anos como professor de materiais dentários, Nóbilo assumiu a cadeira de Prótese Dental na recém-formada FOP/Unicamp e estabeleceu o departamento de Prótese e Periodontia da faculdade. Foi dele também a iniciativa de lançar, em 1970, o primeiro curso de especialização de Prótese Dentária da instituição, o qual coordenou por cerca de 20 anos. Foi na FOP/Unicamp que ele obteve os títulos de especialista em Prótese Dental, doutor em Ciência de Prótese Dental e livre-docente em Prótese Dental.

No início da década de 1970, o professor deu uma enorme contribuição à carreira de milhares de protéticos ao criar o primeiro curso de formação de técnico de prótese dentária do Brasil. Nessa mesma época, atuou como vice-diretor da FOP/Unicamp e contribuiu com a execução do Plano Diretor de Ensino Integrado de Odontologia, do Ministério da Educação e Cultura, em Diamantina (MG), onde lecionava no curso de Prótese Fixa e Prótese Removível. Em 1972, foi designado coordenador do campus avançado em Cruzeiro do Sul, no Acre, como parte do Projeto Rondon.


 

Na década de 1970, o professor criou o curso de especialização em Prótese Dentária da FOP/Unicamp e também o primeiro curso para técnicos de prótese dentária. Em 2007, Nóbilo foi mais uma vez convidado para ministrar uma aula durante um congresso realizado na Unicamp.

 

Ao longo de sua trajetória profissional, Krunislave Antonio Nóbilo contribuiu para o desenvolvimento do curso de Prótese na FOP/Unicamp. Ao lado do filho Mauro, em um evento comemorativo dos 50 anos de fundação da Faculdade de Odontologia de Piracicaba.


Foco nos estudos

Com relação à Prótese Dentária, Krunislave Antonio Nóbilo se destacou pela criação de inúmeros protocolos que o consagraram nacionalmente, como: técnica dos casquetes de moldagem, em 1961; técnica do registro intraoral de Nóbilo, em 1964; técnica das rampas de balanceio em prótese total, em 1981; e técnica das pistas deslizantes de Nóbilo para desdentados totais, parciais e dentados, em 1983. Também teve reconhecimento pelas suas pesquisas com proporções áureas na determinação da dimensão vertical e montagem de dentes em prótese total, muito utilizadas hoje nos estudos de planejamento digital na estética do sorriso.

Durante muitos anos, ele foi bastante conhecido nos cenários nacional e internacional da Odontologia, sobretudo em países da América do Sul, pelos seus conhecimentos aprofundados em Oclusão e Prótese Total – inclusive, ele mesmo se considerava oclusionista e tecnicista.

Em 1984, após participar como único dentista inscrito no curso de Psicossomática, voltado para área médica, em São Paulo, passou a se aprofundar nessa área para compreender melhor as etiologias e as formas de tratamento de pacientes com bruxismo. Ele desenvolveu uma aula sobre o assunto que costumava atrair muitos participantes, intitulada “Bruxismo – uma visão psicossomática, suas causas, efeitos e tratamentos”.

A partir dessa experiência com estudos da ciência psicossomática e a criação da técnica das pistas deslizantesde Nóbilo, ele começou a ter uma visão mais holística dos pacientes e da forma de tratamento reabilitador. “Em seus últimos anos de atividade acadêmica e profissional, dedicou-se ao conhecimento de Psicologia e Filosofia, ministrando inúmeras palestras sobre sua visão da Psicossomática no tratamento das desordens temporomandibulares e pacientes com bruxismo”, conta seu filho Mauro Antonio de Arruda Nóbilo, que seguiu os passos do pai e atualmente é professor titular em Prótese da FOP/Unicamp.

Além disso, muito antes do surgimento da era moderna dos implantes osseointegrados no Brasil, em meados de 1985, ele organizou o primeiro congresso de Implantodontia da Unicamp com os professores que se destacavam na época com os implantes fibro-osseointegrados. Nesta ocasião, o evento teve forte rejeição de professores de Cirurgia e outras áreas, por considerarem a Implantodontia uma técnica inadequada e perigosa. “Foi um evento precursor de congressos sobre a especialidade na FOP.

Tempos depois, a área de Cirurgia começou a organizar eventos relacionados ao assunto”, revela Mauro Nóbilo, lembrando a visão moderna de seu pai, que se aposentaria dali dois anos, mas deixava muitas sementes férteis para a Odontologia.

Seu tempo livre é todo dedicado à família. Com sua esposa, Deize (à esquerda), que o acompanhou durante toda a sua trajetória. No centro, a família toda reunida. À direita, a colação de grau da filha Milena, já falecida.