Publicado em: 05/06/2017 às 11h09

Quem sabe faz a hora...

Editor científico da PróteseNews, Marco Antonio Bottino vê a luz da recuperação econômica no final do túnel.

A atividade econômica é caracterizada por ciclos de longo a médio prazo marcados por quatro etapas: o boom, a recessão, a depressão e a recuperação. Já experimentamos o boom econômico, no qual o Brasil cresceu – o mercado estava otimista, a moeda ficou estável, os níveis de emprego subiram e vimos nossos consultórios sempre com agenda concorrida.
 
Nada mal viver toda essa plenitude por muitos e muitos anos. Mas, infelizmente, uma avalanche de escândalos políticos soterrou nossos dias de calmaria. De uma hora para outra, ficou difícil fazer planos para o futuro. Não será simples percorrer as próximas etapas do ciclo econômico. Estamos vivenciando momentos de muita instabilidade político-econômica, taxa de desemprego crescendo e nossa moeda se desvalorizando. O resultado de tudo isso está bem diante de nossos olhos: consultas sendo desmarcadas, pacientes “sumindo” e laboratórios com cada vez menos demanda.
 
É preciso escolher as armas certas para lutar contra tanto pessimismo. Se a economia está estagnada, não podemos fazer o mesmo com nossa carreira profissional e com quem depende de nossos cuidados. No final desse túnel escuro que vivemos atualmente, está a luz da recuperação econômica, e com ela um novo ciclo de crescimento e prosperidade. É assim que as coisas funcionam, e é assim que sempre será.
 
Quando essa boa fase chegar, é preciso estar bem preparado para “largar” na frente de quem ficou de braços cruzados, simplesmente esperando a tempestade acabar. A melhor forma de driblar a crise é continuar trabalhando, se dedicando e se atualizando. Com essas ferramentas, você estará muitos passos adiante de quem se manteve paralisado ou acuado.
 
Em 2017, vamos trabalhar com garra e buscar novos conhecimentos, somente assim poderemos alcançar um 2018 muito mais frutífero.

 

Marco Antonio Bottino
Editor Científico