Publicado em: 08/11/2017 às 16h10

O Brasil traiu Brånemark

O fechamento do Instituto Brånemark é a maior desonra que a nossa Implantodontia poderia sofrer.

O Instituto Brånemark deverá ser fechado nas próximas semanas.

 

A Osseointegração foi descoberta na Suécia, há 52 anos, mas o cirurgião-dentista brasileiro gosta de bater no peito e dizer que o seu país é a verdadeira pátria da Implantodontia. Essa afirmação pode até fazer algum sentido, afinal, nossos implantodontistas estão entre os melhores do mundo. Além disso, somos uma grande potência mundial no mercado de implantes, com 50 mil profissionais em atividade e uma forte indústria nacional atuando no setor.

Poderíamos estar agora celebrando as vitórias que nossa Implantodontia acumulou ao longo dos últimos 30 anos, desde que a Osseointegração chegou por aqui. Poderíamos falar dos milhões de pacientes reabilitados e da evolução técnica da especialidade. Mas, as últimas notícias que chegam de Bauru (SP) nos trazem muito mais motivos para constrangimento do que orgulho.

Para quem não está acompanhando, o Instituto Brånemark – entidade internacional sem fins lucrativos que foi dada como um presente aos brasileiros pelo próprio pai da Osseointegração – deverá ser fechado nas próximas semanas por conta de um desentendimento com as autoridades da região. A prefeitura local se recusa a renovar o contrato de concessão do imóvel ocupado pelo instituto, argumentando que a associação não cumpriu o número mínimo de atendimentos gratuitos previsto em contrapartida para utilização do prédio.

Os advogados do instituto, por sua vez, insistem que o acordo foi cumprido. No entanto, existiria uma divergência no entendimento sobre o que um atendimento significa. Para o instituto, cada sessão de tratamento corresponde a um atendimento. Para as autoridades locais, um atendimento significa um tratamento completo.

A verdade é que já não importa mais quem tem razão nessa discussão semântica. O Brasil está perdendo um centro de excelência no atendimento à população carente. Em troca, a prefeitura vai ganhar um prédio vazio.

O fechamento do Instituto Brånemark é a maior desonra que a nossa Implantodontia poderia sofrer. Seja lá qual foi o motivo que explique esse episódio, o poder público traiu o legado de P-I Brånemark. Com sua burocracia, desorganização e ambição desmedida, o Brasil destruiu parte do trabalho de um homem íntegro, cuja única intenção era ajudar nossa população carente. A propósito, essas pessoas sem recursos serão as maiores prejudicadas nessa infeliz iniciativa do poder público.

Se o fechamento do Instituto Brånemark é mesmo fato consumado, o que nos resta é apoiar os profissionais que lá trabalharam. Aqueles que honraram a memória de P-I merecem todo o nosso respeito e admiração. Por outro lado, se ainda existe a chance do poder público rever a sua posição e evitar esse erro histórico, espero que este alerta os ajude a refletir sobre o assunto.

 

Haroldo Vieira

Diretor executivo da revista ImplantNewsPerio