Publicado em: 09/11/2017 às 17h07

CAD/CAM chairside: cada vez mais, uma realidade

Como o paciente prefere realizar o tratamento no menor número de visitas ao consultório, o sistema chairside é uma ótima solução.

Na sociedade moderna, principalmente nos grandes centros, os pacientes preferem que os tratamentos sejam realizados em um menor número de visitas ao consultório do dentista. Assim, os sistemas CAD/CAM chairside parecem ser uma ótima solução para agilizar o tratamento com restaurações cerâmicas de alta qualidade. Este sistema possibilita o tratamento da maioria dos casos em apenas uma sessão, trazendo vários benefícios ao paciente, como: ausência de moldagens, diminuição da ansiedade e estresse, da sensibilidade pós-operatória e do número de anestesias. Uma comparação entre um sistema digital de escaneamento e moldagens tradicionais mostrou que o tempo de trabalho diminui pela metade com o método digital, e 80% dos pacientes têm clara preferência pelo procedimento de escaneamento1.

O profissional, por sua vez, tem uma considerável melhora do seu trabalho, uma vez que o sistema permite uma avaliação muito precisa da qualidade dos preparos, que podem ser analisados em alta magnificação na tela do sistema e com ferramentas específicas, como o Prep Check do sistema Cerec. Hoje, é sabido que a qualidade dos preparos é o fator mais importante para a qualidade final das restaurações realizadas com CAD/CAM, independentemente do sistema2.


CAD/CAM chairside

O conceito de tratamento chairside consiste na presença de um scanner intraoral com o software de desenho das restaurações e de uma fresadora de alto desempenho e velocidade dentro da clínica do cirurgião-dentista – daí o nome chairside, que em tradução livre significa “ao lado da cadeira”. Quando as fresadoras utilizam o sistema de fresas Extra Fine, são obtidas excelentes definições de margens, comparáveis às peças realizadas nas fresadoras laboratoriais de cinco eixos3.

O acabamento das peças pode ser realizado por polimento ou maquiagem e glaze4. A presença de um forno no consultório do dentista oferece a possibilidade de trabalhar com uma gama maior de cerâmicas, principalmente as reforçadas, que necessitam de cristalização. A discussão a respeito da qualidade das restaurações produzidas por meio dos sistemas CAD/CAM chairside, como o Cerec, parece bem estabelecida, uma vez que diversos estudos mostram a sua sobrevivência no médio e longo prazos, com diversos materiais e diferentes situações clínicas5-10.

As técnicas utilizadas para obtenção de resultados estéticos de excelência com os sistemas CAD/CAM estão se desenvolvendo rapidamente. Podemos reproduzir a morfologia de dentes contralaterais íntegros (Figuras 1 a 4), a própria anatomia dos dentes naturais do paciente (Figuras 5 a 8) ou enceramentos diagnósticos transferidos para a boca do paciente na forma de mock up. A técnica atualmente chamada de Skin, desenvolvida por Paulo Kano11, baseia-se na cópia de dentes naturais com todos os seus detalhes anatômicos e funcionais, possibilitando restaurações com morfologia idêntica a dos dentes naturais copiados.

O sistema Cerec também tem a possibilidade de realizar restaurações sobre implantes em apenas uma sessão, com bases de titânio denominadas TiBase, que fazem a ligação entre diferentes sistemas de implantes e os blocos perfurados, podendo estes serem cerâmicos, híbridos, de PMMA ou de zircônia12. Casos mais complexos, como reabilitações totais, também podem ser realizados com o sistema chairside.

Um protocolo utilizando o Cerec foi descrito13. Resumidamente, o paciente é moldado e os modelos são montados em RC em ASA. É então realizado o enceramento diagnóstico reconstruindo a morfologia dental, de modo a restabelecer dimensão vertical, função, guias de desoclusão e estética. O enceramento é transferido para a boca na forma de mock up adesivo, por meio de muralhas de silicone e resina bisacrílica. O mock up fica em função por um período de acompanhamento e adaptação do paciente, com ajustes sendo realizados quando necessários. Se o sistema funciona a contento durante este período, é iniciada a troca das restaurações plásticas por cópias exatas em cerâmica dos provisórios que já estão ajustados e em função, aumentando a previsibilidade do tratamento e diminuindo o tempo de ajustes das restaurações cerâmicas (Figuras 9 a 14).


Considerações finais

O sistema CAD/CAM chairside é capaz de entregar restaurações de alta qualidade e estética. A transição do fluxo de trabalho convencional para o digital envolve uma curva de aprendizado no processo de escaneamento, manuseio do software de projeto e, principalmente, no acabamento das restaurações cerâmicas. No entanto, os benefícios superam em muito os desafios, uma vez que é possível diminuir significativamente o tempo (horas clínicas) para a confecção de uma restauração cerâmica. O sistema CAD/CAM é ainda um grande diferencial para a maioria dos pacientes, no sentido de atender aos seus anseios de praticidade e qualidade.

É importante lembrar que as tecnologias são nossas aliadas, mas não passam de ferramentas para atingir nossos objetivos. O fator humano – paciente e profissional – é e sempre será determinante para a qualidade e sobrevivência das restaurações, sejam elas realizadas por meios digitais ou convencionais.


Sugestões de leitura

1. Schepke U, Meijer HJA, Kerdijk W, Cune MS. Digital versus analog complete-arch impressions for single-unit premolar implant crowns: operating time and patient preference. The Journal of Prosthetic Dentistry 2015;114(3):403-6.e1.

2. Renne W, Wolf B, Kessler R, McPherson K, Mennito AS. Evaluation of the marginal fit of CAD/CAM crowns fabricated using two different chairside CAD/CAM systems on preparations of varying quality – 5a ed. Journal of Esthetic and Restorative Dentistry 2015;27(4):194-202.

3. Kirsch C, Ender A, Attin T, Mehl A. Trueness of four different milling procedures used in dental CAD/CAM systems. Clinical oral investigations 2017;21(2):551-8.

4. Fasbinder DJ, Neiva GF. Surface evaluation of polishing techniques for new resilient CAD/CAM restorative materials. J Esthet Restor Dent 2016;28(1):56-66.

5. Hickel R, Manhart J. Longevity of restorations in posterior teeth and reasons for failure. J Adhes Dent 2001;3(1):45-64.

6. Wiedhahn K, Kerschbaum T, Fasbinder DF. Clinical long-term results with 617 Cerec veneers: a nine-year report. Int J Comput Dent 2005;8(3):233-46.

7. Reich S, Endres L, Weber C, Wiedhahn K, Neumann P, Schneider O et al. Three-unit CAD/CAM-generated lithium disilicate FDPs after a mean observation time of 46 months. Clinical oral investigations. Springer Berlin Heidelberg 2014;18(9):2171-8.

8. Joda T, Ferrari M, Brägger U. Monolithic implant-supported lithium disilicate (LS2) crowns in a complete digital workflow: a prospective clinical trial with a 2-year follow-up. Clinical implant dentistry and related research 2017, jan 16.

9. Fasbinder DJ. Clinical performance of chairside CAD/CAM restorations. J Am Dent Assoc 2006;137(suppl.):22S-31S.

10. Zimmer S, Göhlich O, Rüttermann S, Lang H, Raab WH, Barthel CR. Long-term survival of Cerec restorations: a 10-year study. PubMed – NCBI. Operative Dentistry 2008;33(5):484-7.

11. Silva NRFA, Kano P, Van Dooren E, Xavier C, Ferencz JL, Lacerda E. Improving aesthetics in CAD/CAM dentistry – anatomic shell technique. CAD/CAM International Magazine of Digital Dentistry 2013:1-4.

12. Soares FP, Rodrigues AS, Teles RF, Padua JM. Restauração de implantes com sistemas CAD/CAM. In: CAD/CAM no laboratório e na clínica: a Odontologia digital. Nova Odessa: Ed. Napoleão, 2017. p.412.

13. Palmieri Filho JC, Teles RF, Miake RW, Cardoso PC, RA D. Reabilitação oclusal chairside: a biocópia da plástica oclusal. In: Padua JM, Teles RF, editors. CAD/CAM no laboratório e na clínica: a Odontologia digital. Nova Odessa, 2017. p.412.


Autor:

Fernando Peixoto Soares
Mestre e doutor em Odontologia – Fousp; Especialista em Periodontia.

 

Galeria