Publicado em: 11/06/2018 às 12h05

De qual lado você está?

Em seu editorial, Marco Antonio Bottino relata como o uso de novas tecnologias na Prótese Dentária tem sido foco de reflexões por parte dos profissionais da área.

Vivemos um momento de polarização que ultrapassa o cenário político. Seja qual for o assunto, somos praticamente obrigados a escolher o lado A ou o lado B – e não importa se simpatizamos com algumas propostas de ambos. Escolha o seu lado ou será taxado como “aquele que fica em cima do muro”.

O uso de novas tecnologias na Prótese Dentária tem sido foco de reflexões por parte de todos os profissionais que atuam na área, sejam protesistas ou protéticos. E sabemos que as tecnologias vêm para somar na rotina da clínica e do laboratório. Mas, ainda há muitos profissionais que resistem ao uso de recursos digitais e se mantêm firmes utilizando técnicas tradicionais e artesanais. E que o há de errado nisso? Absolutamente nada. E esse é o ponto principal.

Precisamos entender que há espaço para todos e, mais do que isso, o digital complementa o tradicional e vice-versa. Não restam dúvidas de que a Odontologia Digital está revolucionando processos e o fluxo de trabalho, oferecendo agilidade e precisão. Por outro lado, temos o valor e a personalidade de um trabalho desenvolvido por mãos habilidosas e igualmente precisas. Logicamente que alguns processos são muito mais rápidos quando realizados com o apoio da tecnologia. Ao mesmo tempo, a tecnologia ainda não contempla todas as necessidades do dentista, que muitas vezes precisa recorrer ao bom e velho modelo tradicional de diagnóstico e tratamento.

Portanto, caro leitor, deixe a polarização do lado de fora da clínica e do laboratório, e aproveite todos os recursos oferecidos pela Odontologia atual. A opção entre modelos de trabalho convencionais ou digitais dependerá da sua habilidade e dos seus conhecimentos. Ser um dentista “em cima do muro” é bem melhor do que ser um dentista polarizado. Pode acreditar!

 

Marco Antonio Bottino

Editor científico