Publicado em: 02/10/2018 às 08h11

Odontologia Digital: aplicabilidade e vantagens

Encontro da SBPqO discutiu os diferentes aspectos para empregar de maneira eficiente as novas tecnologias.

Expor e discutir as diversas aplicações da tecnologia na Odontologia, com base em evidências científicas, foram os objetivos da segunda edição do Simpósio de Odontologia Digital, que compôs a programação da 35a Reunião Anual da Sociedade Brasileira de Pesquisa Odontológica (SBPqO), realizada em Campinas, no interior paulista, no início de setembro.

De acordo com os organizadores, aproximadamente 600 estudantes e profissionais do setor acompanharam as explanações dos professores Paulo Kano, Nelson Silva e Marcio Casati, que são detentores de uma vasta experiência na área de Odontologia Digital. “Tivemos o auditório lotado durante todo o período, o que mostra o interesse pelo assunto. Também notamos a presença de alunos de pós-graduação, que estavam buscando insights para suas pesquisas”, destaca Altair Del Bel Cury, coordenadora do simpósio.

A importância do evento vai além do fato de existir um longo caminho a ser percorrido para uma conexão mais harmoniosa entre a indústria e o meio acadêmico. Há ainda a necessidade dos clínicos entenderem corretamente a aplicabilidade do fluxo digital para usufruírem de maneira mais ampla dos benefícios que ele pode proporcionar. “Nós vemos um avanço agressivo da indústria no mercado brasileiro, mas não vemos as universidades fazendo grandes avanços em pesquisa, por uma questão de custo dos equipamentos”, avalia Carlos Eduardo Francci, presidente da SBPqO, ao acrescentar que o simpósio foi uma boa oportunidade para estimular os membros da instituição a refletirem sobre o assunto.

Da esquerda para a direita, os ministradores Nelson Silva, Marcio Casati e Paulo Kano, que falaram sobre os processos digitais em Odontologia.

 

Na prática

Com base no Protocolo Cllones, Paulo Kano falou sobre restaurações estéticas com previsibilidade e maior precisão. “Essa técnica está relacionada à replicação de dentes naturais e da morfologia como um todo, além da aplicação dessa morfologia para fazer restaurações ou para ser usada em Implantodontia, Ortodontia e outras áreas”, explica Kano, que ainda destacou as vantagens do fluxo digital em uma comparação com fluxos convencionais.

Em seguida, Nelson Silva fez um panorama sobre a questão dos custos visando a otimização de resultados, no que diz respeito à adoção do fluxo digital. Ele ressaltou também o que é possível realizar através da tecnologia, com exemplos de aplicações em diversos tipos de procedimentos. “A tecnologia na Odontologia não é o futuro, já é uma realidade e necessita ser olhada com carinho, da forma mais rápida possível”, aponta.

Por sua vez, Marcio Casati falou sobre as vantagens da cirurgia guiada na instalação de implantes, enfatizando a abordagem minimamente invasiva. “Mostramos os benefícios dessa tecnologia no que se refere à redução da bacteremia, do tempo cirúrgico e da morbidade do paciente, entre outros aspectos. Enfim, um contexto bem amplo dos benefícios da utilização da cirurgia guiada”, resume Casati.

Em síntese, as abordagens dos ministradores revelaram como a tecnologia pode se tornar uma grande aliada na otimização dos procedimentos e na obtenção de resultados mais precisos. “Cada um expôs seu protocolo de trabalho, com diferentes aplicações da tecnologia digital na Odontologia. Eles também puderam fomentar novas ideias para os futuros pesquisadores”, conclui Guilherme Saavedra, membro da comissão de apoio da SBPqO, que atuou na coordenação das atividades do simpósio.