Publicado em: 19/11/2018 às 10h16

Harmonização Orofacial: o novo caminho

Caso clínico apresenta o restabelecimento da capacidade de mastigação, o fim da cefaleia tensional, a recuperação da imagem facial e da autoestima.

A Odontologia está se inserindo em um segmento bastante promissor para a profissão, a Harmonização Facial. A maior expressão da face é proporcionada pelo sorriso, e hoje, mesmo quando isso é conquistado, os pacientes solicitam mais mudanças que vão de pequenos preenchimentos com ácido hialurônico e controle das expressões faciais com toxina botulínica até procedimentos cirúrgicos, como blefaroplastia, lifting dos terços faciais, preenchimentos com gordura, peeling com variados produtos, dentre outras possibilidades.

Atualmente, existe uma polêmica sobre até onde vai a atuação dos cirurgiões-dentistas nesse segmento, mas não é nossa proposta discutir esse mérito, pois acreditamos que o profissional deva estar devidamente capacitado tanto para realizar os procedimentos como para resolver possíveis intercorrências. Pode ser que nos próximos anos haja mudanças, porém, por enquanto, acreditamos que a atuação do cirurgião-dentista se limita ao uso de preenchedores e toxina botulínica. Sendo assim, o sucesso desse segmento depende das parcerias com médicos dermatologistas e cirurgiões-plásticos.

O uso da tecnologia associada ao atendimento humanizado mudou a Odontologia atual, e essa transformação é tangível a todos os aspectos, desde a recepção do cliente, realização de exames de suporte ao planejamento e uso dos recursos digitais que guiam e aumentam a precisão dos procedimentos, além de diminuir o tempo dos tratamentos.

Na sequência, vamos apresentar uma resolução clínica realizada do início ao fim em quatro atendimentos, exemplificando uma condição que retrata a verdadeira reintegração social sob vários aspectos: restabelecimento da capacidade de mastigação, fim da cefaleia tensional, recuperação da imagem facial e recuperação da autoestima.

Na consulta inicial, a conversa é a grande ferramenta, principalmente as perguntas, que devem ser feitas de forma simples e lógica para que o paciente entenda os questionamentos e possa dar as respostas que contribuem para o planejamento e a conquista da solução. Quando ele não tem a oportunidade de falar ou os questionamentos não são feitos de acordo com a sua capacidade de compreensão, graves erros acabam sendo cometidos e o resultado se torna comprometido.

No método de atendimento apresentado, antes de qualquer contato com o cirurgião-dentista, o paciente conversa com um profissional capacitado durante 30 minutos para retirar todos os seus anseios, em um bate-papo informal e descontraído. Esse profissional acompanhará todo o processo que envolve a consulta inicial, exame clínico, radiografia e, quando necessário, a tomografia.

No presente caso clínico, a consulta inicial da paciente de 48 anos teve duração de oito horas, sendo uma hora para lanche e descanso. Nessa consulta, foram realizados:

1. Conversa inicial;

2. Coleta de sangue para exames laboratoriais;

3. Exame de eletrocardiograma;

4. Consulta médica clínica para interpretação de exames laboratoriais e estabelecimento de pré-operatório;

5. Consulta com médico cardiologista para estabelecimento de risco cirúrgico;

6. Consulta com médico anestesiologista para avaliação pré-anestésica;

7. Exame radiográfico (Figura 1);

8. Protocolo fotográfico inicial (Figuras 2);

9. Filmagem das expressões faciais;

10. Exame clínico odontológico;

11. Planejamento digital;

12. Moldagem e obtenção de modelos;

13. Registro com arco facial;

14. Montagem dos modelos em articulador para obtenção de guia multifuncional;

15. Consulta com médico dermatologista.

 

Figura 1 – Radiografia inicial.

 

Figuras 2 – Protocolo fotográfico inicial.

 

Após análise de todos os exames pela equipe de profissionais, foi diagnosticado grande envelhecimento facial, redução na dimensão vertical, ausências dentais, mobilidade dental generalizada, doença periodontal em atividade, aspecto funcional da oclusão comprometida, com o agravante da cliente relatar dores de cabeça diariamente. Sendo assim, foi realizado o seguinte planejamento para a solução dos problemas encontrados:

 

1. Procedimento cirúrgico realizado com anestesia local e sedação endovenosa conduzida por médico anestesista (Figura 3);

2. Exodontia total dos dentes;

3. Instalação de 12 implantes cônicos Dérig Bioneck TRI (13/4.3 e 13/4.5), sendo seis em cada arco (Figuras 4 a 6);

4. Enxerto com hidroxiapatita reabsorvível Osteogem (Intra-Lock Indústria Comércio Importação e Exportação de Produtos Implantológicos Ltda.), Figuras 4 e 5;

5. Confecção de duas próteses imediatas fixas sobre os implantes;

6. Preenchimento facial com ácido hialurônico feito por médico dermatologista;

7. Aplicação de toxina botulínica para controle das expressões faciais, feita por médico dermatologista.


A segunda consulta teve duração de oito horas, na qual foram realizados: procedimento cirúrgico (Figuras 3 a 5); moldagem dos implantes (Figura 7); registro interoclusal (Figura 8); obtenção, articulação e escaneamento dos modelos (Figuras 9); projeto digital das infraestruturas das próteses (Figuras 10); fresagem das infraestruturas (Figura 11), sendo a superior em cera para fundição e a inferior em PEEK (Figura 11); prova das infraestruturas; e montagem dos dentes (Figuras 12 e 13).

Figuras 3 – Realização cirúrgica.

 

Figuras 4 – Fases cirúrgicas do arco superior.

 

Figuras 5 – Fases cirúrgicas do arco inferior.

 

Figura 6 – Implante cônico Dérig Bioneck TRI.

 

Figura 7 – Posicionamento dos transferentes nos minipilares cônicos, união rígida com metal e cianoacrilato, cobertura com resina acrílica reforçada com fibra de carbono e molde de transferência com alginato.

 

Figura 8 – Registro com guia multifuncional e silicone de adição.

 

Figuras 9 – Modelos superior e inferior, escaneamento do modelo e projeto digital das infraestruturas.

 

Figuras 10 – Projeto digital da barra para usinagem.

 

Figuras 11 – Barra em PEEK (polieteretercetona) usinada pelo sistema CAD/CAM com componentes em titânio desenvolvidos por Dérig Ind. Com. Médico Odontológico Ltda.

 

Figura 12 – Montagem dos dentes de próteses tipo protocolo.

 

Figura 13 – Prova dos dentes (ArtiPlus Dentsply) e da barra.

 

A terceira consulta teve duração de quatro horas, sendo dividida em duas etapas: as primeiras duas horas foram dedicadas à prova da montagem dos dentes e as outras duas horas à instalação do trabalho (Figura 14), sendo mantido o intervalo de dez horas entre elas.

 

Figura 14 – Trabalho instalado.


A quarta consulta, com duração de três horas, aconteceu dez dias depois e foi dedicada à remoção de sutura, protocolo fotográfico para planejamento de preenchimento facial com ácido hialurônico e aplicação de toxina botulínica (Figuras 15). Ao final, os procedimentos realizados geraram mudanças positivas para a paciente, melhorando sua qualidade de vida e promovendo sua reinserção social (Figuras 16 a 19).

Figuras 15 – Planejamento e atendimento dermatológico.

 

Figura 16 – Radiografia final.

 

Figura 17 – Quinze dias após procedimento cirúrgico.

 

Figura 18 – Protocolo fotográfico final.

 

Figura 19 – Mudança na qualidade de vida.

 

Sérgio C. Dias
Especialista em Prótese Dentária – CFO; Mestre e doutor em Reabilitação Oral – Forp/USP; Coordenador do curso de mestrado em Prótese – SLMandic; Diretor do Hospital Odontológico Implar.


Gisseli B. Ávila
Especialista em Prótese Dentária – CFO; Mestra em Clínica Odontológica – Unicor; Doutora em Reabilitação Oral – Forp/USP; Pós-doutorado em Bioengenharia e doutoranda em Implantodontia – SLMandic; Diretora do Hospital Odontológico Implar.