Publicado em: 20/05/2019 às 13h46

Simonides Consani: o tempo não para

Durante os 45 anos em que atuou na Unicamp, o professor teve papel importante para o desenvolvimento da Faculdade de Odontologia de Piracicaba.

(Ilustração: Lézio Júnior)

Por Andressa Trindade

 

Durante os 45 anos em que atuou na Unicamp, Simonides Consani teve um papel importante para o desenvolvimento da Faculdade de Odontologia de Piracicaba, especialmente dos cursos de pós-graduação. Mesmo depois da aposentadoria, a vida acadêmica segue fazendo parte de sua rotina: ele continua na ativa como professor voluntário.


A experiência não está na idade, mas sim na vivência. E isso o professor Simonides Consani sabe muito bem. Hoje com 80 anos e ainda atuando na área acadêmica, ele viveu um período de gradual revolução da Odontologia, que passou dos mecanismos mais rudimentares até as inovações digitais que vemos atualmente. “Vivi, vi e usei desde o motor elétrico de cordinha com brocas de aço até o advento do micromotor e da alta rotação com brocas de tungstênio e pontas diamantadas. Desde as fundições odontológicas convencionais pela cera perdida até as próteses confeccionadas em CAD/CAM e impressoras 3D”, exemplifica.

Quando escolheu a Odontologia como profissão, foi movido pelos próprios instintos, já que não era uma tradição familiar. Em 1960, Simonides ingressou na então Faculdade de Farmácia e Odontologia de Piracicaba por meio do Concurso de Habilitação para o Ingresso ao Curso Superior, naquela época pertencente ao Instituto Estadual de Ensino Superior – já que como universidade existia somente a Universidade de São Paulo (USP). “Em 1963, graduei-me como primeiro aluno da quarta turma, conquistando três medalhas de vermeil e duas de ouro, e um prêmio em dinheiro”, relembra.

Ao longo de sua carreira, o professor ministrou aulas em dezenas de congressos nacionais e internacionais. Simonides cercado
pelos amigos,
na época da graduação.


O início da extensa carreira docente ocorreu em 1964, quando passou a integrar a disciplina de Dentística Operatória, sob a supervisão do Prof. Dr. Dalton Belmudes de Toledo, na qual desenvolveu sua tese de doutorado e obteve o título de doutor em Ciências, pois na época não existia pós-graduação. Em paralelo, trabalhou como cirurgião-dentista no Sindicato dos Trabalhadores nas Indústrias de Alimentação de Piracicaba, entre 1964 e 1969.

Enquanto a carreira profissional decolava, a vida pessoal acompanhava o mesmo ritmo positivo. Em 1965, pouco depois de se formar, Simonides casou-se com Selma João Consani, com quem teve dois filhos: Heitor Fernando Xediek Consani, médico com especialidade em Cirurgia gástrica, e Rafael Leonardo Xediek Consani, professor adjunto da área de Prótese Total do Departamento de Clínica Odontológica da Faculdade de Odontologia de Piracicaba (FOP/Unicamp). Heitor é pai de Taís, 13 anos, e Pedro, 10 anos, que cursam o ensino fundamental. “Sou o primeiro cirurgião-dentista da família, que hoje conta com mais dois profissionais nessa área: minha sobrinha Ana Cristina Gomes dos Santos, que exerce a profissão na cidade de São Paulo, e meu filho Rafael”, explica.

 

Legado construído ano a ano

A partir de 1969, Simonides começou a trabalhar em tempo integral na FOP/Unicamp. Três anos depois, em 1972, transferiu-se para a cadeira de Materiais Dentários, que era liderada pelo Prof. Dr. Luiz Antonio Ruhnke. Além de lecionar, ele também investiu no seu aprimoramento profissional: em 1976, obteve o título de professor livre-docente e passou a atuar como professor adjunto da Faculdade de Odontologia. Alguns anos mais tarde, em 1986, tornou-se professor titular na área de Materiais Dentários do Departamento de Odontologia Restauradora. “Exerci essas atividades até 2009, quando me aposentei após 45 anos na mesma instituição. Desde então, tenho participado como professor colaborador voluntário da pós-graduação no Programa de Materiais Dentários da FOP/Unicamp, ministrando disciplinas e orientando dissertações e teses”, afirma.

A paixão e dedicação à academia são evidentes em toda sua trajetória. Simonides participou da criação do curso de mestrado no programa de pós-graduação em Materiais Dentários da FOP junto com os professores Luiz Antonio Ruhnke, Wolney Luiz Stolf e Mário Fernando de Góis. “A estruturação do doutorado, que começou em 1991, hoje tem conceito 6 atribuído pela Capes [Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior]”, destaca.

Mesmo depois da aposentadoria, Simonides continua atuando como professor colaborador voluntário, na FOP. Quando não está trabalhando,
o professor e a esposa Selma
gostam de se reunir com amigos.


Ao longo dos anos, também exerceu algumas funções administrativas na universidade, como diretor associado (1982-1986) e diretor (1986-1990) da Faculdade de Odontologia de Piracicaba; diretor presidente suplente e diretor presidente (1990-1992) da Fundação para o Desenvolvimento da Universidade Estadual de Campinas (Funcamp); e coordenador da pós-graduação em Odontologia na área de Materiais Dentários (1995-1999), além de professor responsável pela área de Materiais Dentários (1987-2009).

Durante a carreira, Simonides participou de dezenas de cursos de formação continuada sobre materiais dentários e áreas afins, além de ter feito parte de inúmeras pesquisas que serviram como referência para estudos de outros colegas. “Porém, considero como meu maior legado a formação de centenas de cirurgiões-dentistas e profissionais de pós-graduação. Também tive a honra de administrar a faculdade, sempre focando na qualidade de ensino e de pesquisa, e na atenção à comunidade”, ressalta.

Ele acredita que sua maior contribuição à FOP/Unicamp é a abrangência de sua atuação acadêmica, que sempre envolveu atividades de graduação, pós-graduação e administrativas ao longo de 45 anos. “Não fui somente ministrador de conhecimentos, mas também educador, principalmente na pós-graduação”, reflete.

Simonides Consani também é dono de uma extensa produção de literatura: publicou cerca de 296 artigos científicos em revistas nacionais e periódicos de circulação internacional, além do livro Prótese Total Articulada com Prótese Parcial Removível e ainda sete capítulos de livros. “Orientei e co-orientei 122 trabalhos científicos, compreendendo iniciação científica, dissertação de mestrado e tese de doutorado. Ao longo da carreira, ganhei 44 prêmios e homenagens, e participei de 297 bancas de conclusão de trabalhos e 34 de comissões julgadoras. Colaborei como autor e coautor de cerca de 300 participações em eventos científicos. Em termos mais práticos, idealizei um produto tecnológico para carga de compressão patenteado”, descreve, ao enumerar os sucessos de sua carreira.

Simonides e o filho Rafael,
na clínica da FOP.
Seu filho Heitor,
ao lado dos netos Taís e Pedro.


No entanto, em meio a uma vida profissional muito dedicada e focada, em seu tempo livre gosta de ler um bom livro, ouvir música, assistir filmes e se reunir com os amigos para uma boa conversa.

Antes de qualquer conhecimento técnico que tenha transmitido aos alunos e colegas, a ética é o principal ensinamento que considera como seu legado. “Procuro ser ético em todas as circunstâncias, tanto pessoal quanto profissional. Tenho sempre como modelo o exemplo de pessoas do bem que têm atitudes positivas em prol do crescimento humano e profissional”, afirma Simonides, que tem como lema de conduta o provérbio português: candeia que vai à frente ilumina muito mais. Afinal, segundo ele, qual é o motivo para não ajudar o próximo?