Publicado em: 03/09/2019 às 14h00

José Valdes Conti: a história pede passagem

Durante os 44 anos de profissão, além de ter atuado em importantes entidades de classe, José Valdes Conti se destacou como membro do corpo docente da FOB/USP.

Por Andressa Trindade


Foi observando e admirando o trabalho do único dentista de sua pequena e pacata cidade natal que José Valdes Conti se apaixonou pela profissão. Filho de Vicente Conti e Rosa Ranzani Conti, esse mesmo menino – nascido em Itobi, interior de São Paulo, no dia 10 de dezembro de 1933 – mal sabia que se tornaria um grande nome da Odontologia.

Tudo começou, efetivamente, quando ele se formou em Odontologia pela Universidade de São Paulo (Fousp) em 1959, e nesse mesmo ano já iniciou sua carreira profissional em Itobi. “Após alguns anos, ele se mudou para Bauru, onde morou durante toda a vida. Por lá, passou a atender em consultório particular e também trabalhava como cirurgião-dentista no Instituto Penal da cidade”, afirma o filho, Paulo Conti.

José Valdes Conti casou-se em 1962 com Anna Maria Rodrigues Conti, com quem teve dois filhos: Márcia, artista plástica e empresária, e Paulo César, que seguiu os passos do pai – graduou-se em Odontologia e também escolheu o caminho da Prótese Dentária e das disfunções temporomandibulares, tornando-se professor da FOB/USP.

José Valdes Conti no registro de formatura na Universidade de São Paulo. (Fotos: acervo pessoal) Conti ao lado dos professores
que compuseram a banca examinadora
na sua defesa de tese de livre-docência.


Em 1965, José Valdes foi convidado para integrar o quadro docente da recém-criada Faculdade de Odontologia de Bauru (FOB/USP), junto ao Departamento de Prótese. Iniciava-se, assim, uma longa e vitoriosa carreira marcada pela dedicação ao estudo e ao ensino da Prótese Total. Após o início da vida acadêmica, Conti obteve os títulos de doutor, livre-docente e professor associado, o que resultou na obtenção do título de professor titular em 1989, considerado o mais alto grau da carreira universitária.

Durante a trajetória na universidade, José Valdes Conti exerceu diversos cargos administrativos, a exemplo da chefia do Departamento de Prótese e a vice-diretoria da Faculdade de Odontologia de Bauru, entre 1990 e 1994. Ele também foi responsável pela implementação e direção do curso de Odontologia da Universidade Paulista (Unip), na cidade de Bauru, e ainda coordenou entre 1989 e 2003 o curso de especialização em Prótese Dental da FOB/USP.

Discurso durante sua gestão como vice-diretor da FOB/USP.


No dia a dia com os alunos, ele é lembrado principalmente por ter orientado diversos trabalhos de mestrado e doutorado. “Ele também publicou inúmeros trabalhos científicos no Brasil e no exterior, e capítulos de livros, sempre focados em técnicas relacionadas ao melhor entendimento e estética nas dentaduras completas, sua maior paixão como clínico e professor”, relembra Paulo César.

Durante a trajetória na universidade, José Valdes Conti exerceu diversos cargos administrativos, a exemplo da chefia do Departamento de Prótese e a vice-diretoria da Faculdade de Odontologia de Bauru, entre 1990 e 1994. Ele também foi responsável pela implementação e direção do curso de Odontologia da Universidade Paulista (Unip), na cidade de Bauru, e ainda coordenou entre 1989 e 2003 o curso de especialização em Prótese Dental da FOB/USP.

Ocasião em que outorga
o título de doutor ao filho Paulo César
durante cerimônia de formatura na FOB/USP.
José Valdes e a esposa Anna Maria
durante jantar onde recebeu
o prêmio fellow da Academia Pierre Fauchard.


No dia a dia com os alunos, ele é lembrado principalmente por ter orientado diversos trabalhos de mestrado e doutorado. “Ele também publicou inúmeros trabalhos científi cos no Brasil e no exterior, e capítulos de livros, sempre focados em técnicas relacionadas ao melhor entendimento e estética nas dentaduras completas, sua maior paixão como clínico e professor”, relembra Paulo César.

Dentre seus principais trabalhos estão o estudo da determinação da largura dos dentes anterossuperiores em algumas técnicas de seleção de dentes artificiais e ainda a determinação da dimensão vertical de oclusão na reabilitação de pacientes desdentados totais, que rendeu o capítulo de um livro. Além disso, destaca-se o estudo comparativo entre métodos de Tamaki, técnica mista de Monson Schlosser e mioestimulador para a obtenção da distância vertical de repouso, distância vertical de oclusão e espaço funcional.

Sempre prezando a convivência familiar, Conti está cercado pela neta mais velha Marina (filha de Márcia) e pela neta recém-nascida Sofia (filha de Paulo César).


Sob a orientação do Prof. Tadashi Tamaki, dedicou-se ao estudo da Prótese Total, área em que atuou até seu falecimento, em 24 de setembro de 2003. “Ele ainda contribuiu com a criação de dispositivos específicos para o registro interoclusal das próteses totais. Inclusive, patenteou um garfo para arco facial intitulado Garfo Professor Conti”, detalha Paulo.

A atuação de José Valdes Conti na Odontologia foi além da vida acadêmica. Ele colaborou em diferentes níveis com entidades de classe, como o Conselho Regional de Odontologia (Crosp) e a Associação Paulista de Cirurgiões-Dentistas (APCD). Em 1991, como reconhecimento pela sua ampla e comprometida atuação na Odontologia, recebeu o título de fellow pela Academia Pierre Fauchard, organização odontológica norte-americana sem fins lucrativos.

Em atendimento clínico,
demonstrando sua paixão pela Prótese Total.
José Valdes preparando-se
para mais uma conferência.


Seja na vida pessoal ou profissional, o protesista sempre teve como principal característica a amizade e o carinho com que tratava a todos ao redor. “Isso valia para familiares, funcionários, alunos e amigos de departamento. Sempre acolhedor e agregador, não media esforços para ajudar as pessoas da melhor maneira possível”, afirma Paulo Conti.

Uma de suas grandes paixões era a própria família e também preservava como hábito visitar a cidade natal, a pequena Itobi, onde manteve os laços familiares e de amizade. Nas viagens para lá, arriscava-se como um “craque” do meio de campo, já que era grande fã de futebol e do Corinthians. “Ele era muito apegado aos filhos e netos. Gostava de passear especialmente com a neta mais velha, a Marina, que teve a chance de conviver por mais tempo com o avô. Meu pai apreciava tomar um aperitivo com a família e jogar uma boa partida de baralho com os amigos nos fins de semana. Sempre estava contando e relembrando histórias de sua juventude, com seu jeito engraçado que atraía a atenção de todos. Como um bom descendente de italianos, não dispensava uma boa macarronada – de preferência, com molho de queijos”, relembra com carinho o filho.

Após seu falecimento, aos 69 anos, uma justa homenagem foi feita ao professor: seu nome batiza a clínica de Prótese do Departamento de Prótese da FOB/USP, o laboratório de Prótese Dentária do Projeto Monte Negro, em Rondônia, e o ginásio municipal de esportes de Itobi. Outro legado deixado por ele, é claro, foi a Odontologia que toca todos os alunos e profissionais da especialidade.

No campo da FOB/USP,
preparado para mais uma partida de futebol,
uma de suas paixões.
Ao longo de 44 anos, José Valdes Conti teve a carreira marcada pela dedicação ao estudo e ao ensino da Prótese Total.